• Agitada vida moderna agrava quadro das doenças gástricas | HCor | Hospital do Coração
    Agitada vida moderna agrava quadro das doenças gástricas

    Agitada vida moderna agrava quadro das doenças gástricas

    Gastroenterologista do HCor explica como uma simples dor no estômago, se não tratada devidamente, pode evoluir para um quadro de úlcera gástrica e até mesmo um câncer

    Uma simples dor no estômago, se não tratada no início do sintoma, pode evoluir e transformar o quadro em uma úlcera gástrica ou duodenal. Caracterizada por uma inflamação ou lesão aberta na mucosa do estômago ou duodeno, a úlcera se desenvolve a partir da produção de ácido clorídrico para a digestão dos alimentos. Com esse procedimento, o órgão passa a concentrar uma acidez acima do normal e pode lesionar as paredes do estômago ou do duodeno.

    Estima-se que por ano surjam aproximadamente 22 mil novos casos de câncer no estômago, segundo o último levantamento do INCA (Instituto Nacional de Câncer). No HCor – Hospital do Coração -, em São Paulo, são atendidos diversos pacientes com queixas de dor abdominal e, muitos destes, são diagnósticos de úlceras.

    De acordo com o Dr. André Siqueira Matheus, gastroenterologista do HCor, grande parte dos problemas estomacais se dá ao estresse e a agitada vida moderna. “O hábito de comer de forma irregular e com abuso de condimentos, bem como fumar, ingerir álcool e café em excesso pode ocasionar uma gastrite, e, se mal cuidada, são alguns indícios para um quadro de evolução de úlcera. Porém, a doença também pode ser desencadeada através da bactéria helicobacter e por meio do constante uso de anti-inflamatórios e aspirina para dor”, explica Dr. Siqueira.

    Na maioria dos casos, a úlcera se manifesta através de muita queimação, dores abdominais, enjôos, náuseas e vômitos. Nestas condições, é importante a realização de uma endoscopia digestiva alta, não somente para identificar o que está provocando o quadro, mas, principalmente, para afastar a possibilidade de se tratar de um câncer gástrico, uma vez que os sintomas são parecidos.

    Diagnóstico e tratamento

    Por meio de uma endoscopia digestiva é possível detectar a inflamação e tratar a tempo com uma medicação adequada. O exame é realizado com sedação leve e é feita uma biópsia, para retirar uma amostra de tecido para análise e pesquisa da bactéria helicobacter, sendo todo o procedimento indolor.

    Quase sempre o tratamento é feito com medicação, mas é importante aliar a isso uma mudança do estilo de vida, com redução do estresse, parar de fumar, reduzir o álcool e o café, além de cuidados com a alimentação. “Geralmente quem adquire úlcera não tem uma rotina alimentar saudável. Portanto, é imprescindível para o sucesso do tratamento a inclusão de hábitos saudáveis e o abandono dos antigos costumes”, orienta o gastroenterologista do HCor.

    Para não sofrer desse mal, o gastroenterologista do HCor indica alguns modos de prevenir a doença, mas se a dor for constante, procure um médico o mais rápido possível e conclua o tratamento especificado para o caso como:

    • Fazer cinco refeições por dia, reduzindo a quantidade;
    • Evitar frituras e alimentos com muito condimento;
    • Evitar refrigerantes e bebidas alcoólicas;
    • Parar de fumar;
    • Fazer refeições leves à noite;
    • Evitar bebidas que contém cafeína;
    • Incluir na alimentação frutas, mas evitar as ácidas;
    • Incluir na alimentação verduras e legumes.

    Sobre o Serviço de Gastroenterologia do HCor

    Implantado em 1979, o Serviço de Gastroenterologia é um dos exemplos dos benefícios proporcionados pela filosofia adotada pelo HCor de estender seu padrão de qualidade às demais especialidades médicas.

    Inicialmente concebido para atender pacientes cardiológicos com problema no aparelho digestivo, o serviço conta hoje com equipe especializada e equipamentos de última geração para diagnóstico e terapia de qualquer doença gastrointestinal, mesmo em pacientes não cardiológicos.

    Unidades