• Alimentos com baixo índice glicêmico podem auxiliar no controle do diabetes | HCor | Hospital do Coração
    Alimentos com baixo índice glicêmico podem auxiliar no controle do diabetes

    Alimentos com baixo índice glicêmico podem auxiliar no controle do diabetes

    Nutricionista do HCor salienta a importância da escolha por alimentos na sua forma integral e o abandono de alimentos refinados; quanto maior o número de fibras contidas na alimentação, menor será o índice glicêmico, para beneficiar uma alimentação saudável

    Muitas dietas indicam cortar o carboidrato do cardápio. Porém em uma rotina alimentar com baixo índice glicêmico o carboidrato não é visto como vilão – pois ele é responsável por fornecer a energia necessária para realizar as atividades do cotidiano. Sem eliminar o combustível indispensável para o organismo, é possível fazer escolhas mais saudáveis e conscientes consultando o índice glicêmico de cada alimento.

    Popularmente conhecido como “IG”, o índice glicêmico é um fator utilizado para comparar os carboidratos em relação à capacidade de aumentar o nível de glicose no sangue (glicemia). Quando se consome carboidratos de alto índice glicêmico, o sangue recebe elevadas quantidades de açúcar em um pequeno intervalo de tempo. Isso promove um pico de insulina no organismo e, por consequência, o apetite aumenta. Já quando se consome carboidratos de baixo índice glicêmico, o sangue recebe menos açúcar no mesmo espaço de tempo, afastando esse pico de insulina e reduzindo o apetite.

    De acordo com a nutricionista do HCor (Hospital do Coração), Camila Torreglosa, a classificação do índice glicêmico tem como referência um valor base de aumento da glicemia após o consumo de 50 gramas de açúcar ou pão. Desta forma, alimentos com índice glicêmico menor ou igual a 60 são classificados como “baixos”. Já os alimentos com índice glicêmicos entre 70 e 99 são “moderados” e os acima de 100 são considerados “altos”. “Os carboidratos de baixo índice glicêmico são menos calóricos, têm mais fibras e também garantem energia. Já os carboidratos de médio e alto índice glicêmico contribuem para o aumento de peso”, esclarece Camila Torreglosa.

    A lista dos alimentos de alto índice glicêmico (absorvidos rapidamente pelo organismo), ou seja aqueles que devem ser evitados, inclui o açúcar, arroz branco, batata inglesa, pão branco, biscoitos, doces, chocolate, massas, etc. Já na lista dos alimentos com baixo índice glicêmico (absorvidos lentamente pelo organismo) estão os cereais integrais como, aveia, centeio, massas integrais, maçã, pera, ameixa, entre outros”, pontua.

    Segundo a nutricionista do HCor, controlar a alimentação com foco no índice glicêmico consiste em priorizar o consumo de alimentos com baixo índice glicêmico e diminuir o consumo dos alimentos com alto índice glicêmico. Com a glicemia estável, não haverá aquele desejo súbito e incontrolável de comer um bolo de chocolate inteiro. Além disso, esses alimentos ricos em fibras fornecem saciedade e diminuem a fome fora de hora.

    Dica da nutricionista do HCor para adotar uma rotina alimentar de baixo índice glicêmico:

    uma dica é a escolha por alimentos na sua forma integral e o abandono de alimentos refinados como açúcares e cereais refinados como arroz, pão branco, etc. “Nestes casos, prefira sempre as opções integrais. Quanto maior o número de fibras contidas em sua alimentação, menor será o índice glicêmico e você estará desfrutando de todos os benefícios de uma alimentação saudável”, aconselha.

    Índice glicêmico dos alimentos

    Alto: açúcar (todos os tipos), doce de leite, compota de fruta, leite condensado, chocolate, chocolate em pó, bolos simples e recheados, biscoitos doces recheados, macarrão, arroz branco e batata.

    Baixo: aveia, pão integral, laranja com bagaço, maçã e pera com casca, morango, ameixa fresca, kiwi, pêssego, melancia, hortaliças, pepino, tomate, castanhas, leite e iogurte natural, feijão, lentilha, grão de bico, soja, carne bovina, peixe e frango.

    Unidades