Balanço da Telemedicina

Mais de 13 mil exames realizados pelo SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), em todo o Brasil, receberam laudos emitidos à distância pela Central de Telemedicina do HCor – Hospital do Coração, nos últimos três anos. A parceria firmada pelo Hospital com o Ministério da Saúde busca agilizar o atendimento a pacientes com problemas cardíacos.

Dos exames realizados entre 2010 e 2013, o HCor emitiu 1.418 laudos de infarto agudo do miocárdio e outros 295 que identificavam algum tipo de arritmia. Os laudos são emitidos por uma equipe especializada em até 4 minutos. Isso dá subsídio a um atendimento de urgência mais preciso o que aumenta as chances do paciente sobreviver e reduz o risco de sequelas.

Os primeiros minutos são fundamentais em casos de infarto e arritmias. Cerca de 80% das mortes por infarto acontecem nas primeiras 24 horas após o evento cardiovascular, sendo que 65% delas se concentram na primeira hora. “O projeto é um sucesso. Estamos fornecendo tecnologia de ponta e atendimento especializado para salvar vidas”, afirma o cardiologista Hélio Penna Guimarães, um dos responsáveis pelo projeto no HCor.

Balanço da Telemedicina

Como funciona

Um pequeno aparelho, semelhante a um smartphone, transmite o exame de coração (eletrocardiograma) do paciente para a Central de Telemedicina do HCor. O sinal do equipamento, chamado de Tele-Eletrocardiografia Digital, é enviado via telefonia celular ou por uma linha fixa, com sinal de internet.

Na Telemedicina do HCor, os dados do exame são analisados e um laudo é emitido em até 4 minutos para os socorristas do SAMU.

PASSO A PASSO DA TELE-ELETROCARDIOGRAFIA DIGITAL

1. O socorrista do Samu (médico ou enfermeiro) conecta os eletrodos no peito do paciente;

2. O tele-eletrocardiógrafo (aparelho decodificador digital portátil) capta e grava a frequência cardíaca do paciente em apenas dez segundos;

3. O profissional de saúde entra em contato com a Central de Telemedicina do HCor por um telefone 0800 e informa os dados do paciente: como nome completo, RG, data de nascimento, sintomas e antecedentes de saúde;

4. Repassadas essas informações, o profissional do HCor libera para a transmissão do eletrocardiograma. O exame gravado no aparelho portátil é decodificado em sinais sonoros e transmitido ao HCor por um celular para a transferência dos dados em alta velocidade;

5. A central recebe os sinais, que são decodificados para o traçado do eletrocardiograma no computador. O tempo médio desse processo é cinco minutos;

6. Os cardiologistas do HCor analisam o exame, elaboram o diagnóstico e o enviam com sugestões de tratamento adequado aos socorristas do Samu;

7. O profissional de saúde que está na casa do paciente ou na ambulância recebe a informação em formato de mensagem de e-mail. O laudo também é repassado automaticamente para o médico da Central (local) de Regulação do Samu;

8. Pela tela do celular, é possível visualizar o traçado do eletrocardiograma e todas as outras informações sobre o tratamento do paciente. O sistema digital permite o aumento da amplitude do traçado em até quatro vezes. O médico do HCor fica à disposição para discutir e sugerir condutas de socorro e tratamento baseadas em evidências. Todos os dados são arquivados em bancos de dados com confidencialidade e segurança, conforme recomendações internacionais e do Conselho Federal de Medicina.