• Dia Mundial do Diabetes | HCor | Hospital do Coração
    Dia Mundial do Diabetes

    Dia Mundial do Diabetes


    Crescimento do Diabetes Tipo 2 em crianças e adolescentes está vinculado aos altos índices de obesidade e sedentarismo na infância e adolescência

    No próximo dia 14 de novembro é comemorado o Dia Mundial do Diabetes. Nessa data, diversas ações de conscientização da doença, como medição de glicemia, palestras educativas à população, entre outras, serão promovidas por todo o planeta. O Dia Mundial do Diabetes, que é trabalhado mundialmente por diversas organizações traz à tona o aumento da frequência do diabetes em crianças, jovens e adultos e quais providências devem ser tomadas para prevenir e controlar a doença em todo o mundo. A campanha desse ano, como sempre organizada pela International Diabetes Federation (IDF), traz o tema “Educação e Prevenção do Diabetes” (que será trabalhado entre os anos de 2009 a 2013), com o slogan “Vamos assumir o controle do diabetes. Agora”, com um dos objetivos de alertar a população sobre o controle da doença.

    Sabe-se que atualmente o diabetes está cada vez mais presente em crianças e adolescentes em todo o mundo. No Brasil, o número de crianças e adolescentes com Diabetes Mellitus do tipo 2, principalmente na faixa compreendida entre os 8 e os 18 anos, tem crescido muito, por conta do aumento da prevalência da obesidade e do sedentarismo nessa faixa etária. De acordo com dados da American Diabetes Association (ADA), há 50 anos o diabetes tipo 2 representava menos de 3% de todos os novos casos diagnosticados entre crianças e adolescentes. Hoje, nos Estados Unidos, ele é responsável por até 30 em cada 100 casos registrados. No grupo dos adolescentes, segundo um estudo publicado no Journal of Pediatrics, a incidência do tipo 2 ultrapassa os 45% dos novos casos de diabetes. Atualmente, mais de 200 crianças desenvolvem a doença a cada dia.

    De acordo com a endocrinologista do HCor, Dra. Regeane Trabulsi Cronfli o aumento no número de crianças com diabetes, principalmente do tipo 2, é uma consequência direta dos maiores índices de obesidade, bem como do sedentarismo e do estresse desenvolvidos ainda na infância. “O diabetes do tipo 2 sempre tem como base uma predisposição genética para essa doença; contudo o “trio maligno” (obesidade, sedentarismo e estresse) funciona como desencadeante dessa potencialidade genética que, habitualmente, só se manifestaria após algumas décadas de vida, por volta dos 40 ou 50 anos de idade. O aumento no número de casos de diabetes na infância e na adolescência também é um reflexo da epidemia mundial de obesidade, decorrente do consumo excessivo de alimentos industrializados e pouco saudáveis, que contribuem para o aumento dos fatores de risco cardiovascular e pode levar a criança ou o jovem a desenvolver diversas doenças advindas da má alimentação”, explica a endocrinologista.

    Uma das formas de prevenir à doença é a realização de exames periódicos, o consumo de alimentos saudáveis e a prática de atividades físicas regulares. No caso de crianças e adolescentes os pais tem um papel primordial para o tratamento e prevenção do diabetes, uma vez que, mais do que palavras, as crianças seguem os exemplos que lhes damos. Nas palavras da endocrinologista, a Dra. Regeane, “a principal maneira de se prevenir o diabetes, não apenas na infância e na adolescência, mas em qualquer idade, consiste na adoção de uma rotina de vida mais saudável, na qual se ingere alimentos em quantidade e de qualidade adequadas à manutenção de um peso corporal normal, bem como se estabelece a prática regular de atividades físicas, não nos esquecendo de que o lazer é também um elemento muito importante para o equilíbrio e a saúde de todas as pessoas.”

    Recomendações nutricionais para o controle do diabetes – Para os portadores de diabetes, especialmente a quantidade e a qualidade do carboidrato consumido devem ser bem controladas. Qualquer carboidrato consumido em excesso resultará no aumento dos níveis de glicose no sangue e manifestação dos sintomas do diabetes.


    Recomendações importantes:

    • Alimente-se a cada 3 horas;
    • Tenha sempre disponíveis alimentos práticos para os intervalos das refeições como frutas, barra de cereais light ou biscoitos salgados com fibras;
    • Meça regularmente a glicose sanguínea.


    Na presença de diabetes é sugerido controle complementar rigoroso dos níveis de triglicérides e de colesterol sanguíneos, pois um dos principais fatores para o aparecimento das doenças cardiovasculares é o aumento de gorduras no sangue (dislipidemias). As gorduras consumidas pela dieta afetam diretamente os níveis de gorduras no sangue.


    Como fazer na prática?

    Componentes

    Recomendações

    Açúcar

    Açúcar refinado, cristal, mascavo ou demerara ou mel não devem ser utilizados. Substitua, se necessário, por adoçante artificial

    Doces

    Prefira doces dietéticos e consuma com moderação, como compotas de frutas diet, gelatina diet, pudim diet. Evite doces com creme de leite, leite condensado ou chantilly (mesmo diet)

    Frutas

    São ricas em potássio, vitamina C e fibras, mas também contem açúcar. Consuma ao redor de 3 porções ao dia de frutas variadas. Banana, caqui, uva, figo, manga, suco de uva e de laranja integral devem ser evitados

    Leite e derivados

    Fonte de cálcio, vitaminas do complexo B e proteínas. Prefira leite desnatado e a versão magra de iogurte e queijos (ricota, cottage e queijo minas frescal light)

    Carne bovina

    Fonte de ferro, ácido fólico, zinco e proteínas. Consuma carnes magras: alcatra, patinho, coxão mole, lagarto, filé mignon. Cupim, picanha, costela, contrafilé e miúdos (dobradinha, coração, moela, fígado etc.) devem ser evitados

    Carne suína

    Apresenta vitaminas do complexo B, principalmente tiamina, contém ferro, proteínas e menor teor de sódio. É necessário retirar toda gordura aparente antes do cozimento. Prefira cortes magros como lombo, alcatra e filé mignon suíno. Evite costela suína

    Aves

    Contém vitaminas, proteínas e baixo teor de gordura se retirado totalmente a pele e a gordura próxima ao osso. Opte por cortes sem pele (peito e sobrecoxa desossada)

    Pescados

    Peixes ricos em Omega 3: sardinha, salmão, atum, arenque, adoque, truta. Evite frutos do mar como camarão, ostra e lagosta

    Óleos e gorduras

    Utilize óleo de soja, canola, girassol, milho, azeite de oliva e maionese sem colesterol ou light. Bacon, toucinho, leite de coco, banha vegetal (gordura vegetal hidrogenada), azeite de dendê não são recomendados

    Margarina e manteiga

    Evite manteiga na rotina alimentar. Use margarina sem gordura trans ou margarina com fitosteróis para auxiliar a redução do colesterol sanguíneo

    Ovos

    Consuma preferencialmente a clara de ovos. Em relação à gema limite o consumo para no máximo 2 unidades por semana

    Embutidos

    Utilize peito de peru ou linguiça de peru. Evite linguiça comum, salsicha, salame, mortadela, presunto gordo

    Biscoitos

    Prefira barras de cereais light e biscoitos salgados integrais

    Modo de preparo dos alimentos

    Verduras e legumes crus, ao vapor, refogados ou cozidos. Carnes assadas, grelhadas, ensopadas ou cozidas. Suspenda frituras e pratos à milanesa da rotina alimentar. Utilize pouco óleo para cozinhar os alimentos

    Pães, massas, farinhas

    Estes alimentos são fonte de energia e devem ser controlados e não eliminados da rotina alimentar. Prefira as versões integrais

    Bebidas alcóolicas

    Devem ser evitadas, inclusive o vinho tinto. Prefira coquetéis sem álcool, sucos sem açúcar e refrigerantes sem açúcar

    Temperos

    Prefira temperos naturais como alho, cebola, salsa, cebolinha, coentro, cominho, manjericão, orégano, pimenta, páprica, gengibre, canela, cravo, noz-moscada, cheiro verde, alecrim etc. Evite temperos industrializados


    Unidades