• Doenças de pele aumentam em até 50% a procura por dermatologistas durante o verão | HCor | Hospital do Coração
    Doenças de pele aumentam em até 50% a procura por dermatologistas durante o verão

    Doenças de pele aumentam em até 50% a procura por dermatologistas durante o verão

    Dermatologista do Clinic Check-up HCor (Hospital do Coração) alerta para a exposição solar aguda e intensa (mesmo em dias nublados), além dos cuidados com areias de praias frequentadas por cães e gatos

    Sol e umidade em excesso, ambientes com grande circulação de pessoas, praias e piscinas. Esses são alguns dos cenários propícios para doenças de pele no verão. Com a chegada da estação, é comum o aumento da transpiração e da umidade do corpo. Com isso, tornam-se mais frequentes os casos de micoses, frieiras e infecções, além de irritações na pele como brotoejas e alergias de contato. Estima-se que aumente em até 50% as consultas em dermatologistas nessa época do ano.

    Calor e umidade favorecem a proliferação de bactérias e fungos, principais causadores de doenças de pele. “Com o uso por períodos prolongados de roupas úmidas (maiôs, shorts, biquínis e sungas) e maior frequência em clubes, piscinas, vestiários e praias, onde há maior chance de contato com bactérias e fungos, muitas pessoas contraem doenças de pele”, afirma a Dra. Rosiane Boabaid, dermatologista do Clinic Check-up HCor (Hospital do Coração).

    O contato com a areia de praias frequentadas por cães e gatos favorece a chance de contrair larva migrans (bicho geográfico), pois elas encontram-se nas fezes dos animais. Além disso, existe o risco de contrair a Tunga Penetrans (bicho do pé). Já o uso de perfumes e determinados cosméticos, assim como contatos com plantas ou sucos (principalmente de limão), em combinação com exposição solar, desencadeia uma erupção denominada fitofotodermatose, uma espécie de queimadura solar que pode ocasionar bolhas e manchas duradouras na pele afetada.

    De acordo com a dermatologista do Clinic Check-up HCor (Hospital do Coração), a exposição solar aguda e intensa (mesmo em dias nublados) pode causar queimaduras solares. O uso do protetor é muito importante para evitar o câncer da pele, atualmente o mais incidente na população brasileira, bem como o envelhecimento precoce.

    Ao detectar alguma alteração na pele, o paciente deve procurar auxílio de um dermatologista para fazer o diagnóstico correto e o tratamento mais indicado. “Quando se trata de problemas de pele, algumas pessoas possuem receitas caseiras e medicamentos que podem auxiliar na melhora da doença. Porém não indicamos o uso de medicamentos sem a prescrição médica, visto que muitos dos sintomas são semelhantes em diferentes doenças”, esclarece Dra. Rosiane.

    Unidades