• Estudo do Clinic Check-up HCor | HCor | Hospital do Coração
    Estudo do Clinic Check-up HCor

    Estudo do Clinic Check-up HCor

    Estudo do Clinic Check-up HCor aponta que 43% dos homens estão com colesterol elevado

    Um levantamento realizado pelo Clinic Check-up HCor – Hospital do Coração no ano passado com 1.252 pacientes na faixa etária de 30 a 55 anos, mostrou que 43% dos homens estão com colesterol LDL elevado (maior ou igual a 130 mg/dL, enquanto o recomendado é não ultrapassar a 100 mg/dL. Já entre as mulheres, 30,4% apresentaram colesterol maior ou igual a 130 mg/dL.

    Atualmente, cerca de 20% da população mundial têm colesterol LDL acima do ideal. No Brasil, o problema atinge de 12% a 15% da população (aproximadamente 22 milhões de pessoas). O controle do colesterol é fundamental para evitar o risco de se desenvolver doenças coronárias. Elas ocorrem quando há a obstrução dos vasos sanguíneos pelo acúmulo de gordura depositado nas artérias coronarianas – responsáveis por levar oxigênio ao coração através do sangue. Além do colesterol elevado, há outros fatores de risco para doenças do coração como hipertensão, diabetes, fumo e pré-disposição genética.

    Os níveis de colesterol aumentam quando ingerimos gorduras saturadas (como carnes gordurosas, pele de frango, leite e derivados de leite integrais), presentes também em alguns alimentos de origem vegetal (azeite de dendê, gordura de côco), além de gordura trans. Essa última é formada no processo de hidrogenação industrial, que transforma óleos vegetais líquidos em gordura sólida. “Suas principais fontes são os alimentos industrializados que utilizam gordura vegetal hidrogenada, como sorvetes, bolachas e biscoitos recheados. Grande parte dos alimentos que utilizavam gorduras hidrogenadas reduziram a quantidade na formulação e temos a opção desses mesmos produtos sem gordura trans por porção”, explica a nutricionista do HCor, Camila Gracia.

    Em contrapartida, as gorduras polinsaturadas presentes em óleos como soja, girassol e peixes como a sardinha, atum e salmão não aumentam o colesterol – da mesma forma que os alimentos ricos em gorduras monoinsaturadas como azeite, abacate e frutas oleaginosas (nozes e castanhas).

    “Na medida em que o colesterol se deposita nas paredes das artérias, diminui o espaço para a passagem do sangue e, com o tempo, algumas delas podem ficar totalmente obstruídas. Com isso, ocorre, por exemplo, o infarto agudo do miocárdio ou a isquemia cerebral, conhecida como derrame. Para não chegar a esse ponto, o indivíduo deve procurar a orientação médica precocemente, pois a elevação do colesterol não costuma provocar desconforto até que a situação esteja bastante grave”, explica o cardiologista e supervisor do Clinic Check-up HCor, Dr. César Jardim.

    Segundo o cardiologista, o ideal é começar a controlar o colesterol a partir dos 20 anos e repetir o exame a cada cinco anos se os resultados estiverem normais. “Quem tem parentes de primeiro grau com colesterol alto, sobretudo o pai ou a mãe, deve verificar seus níveis mais precocemente e, em algumas situações, até mesmo na infância. É fundamental fazer exercícios físicos regulares e ter uma alimentação saudável”, esclarece Dr. César Jardim.

    Prevenção:

    “Prefira as carnes magras (grelhadas e sem pele) leite e derivados desnatados ou light e consuma frutas, verduras, legumes e cereais integrais diariamente (em especial o farelo de aveia), pois esses alimentos contêm fibras que ajudam no controle do colesterol”, orienta a nutricionista.


    ComoAlimentos favoráveis e desfavoráveis para o controle do colesterol:

    Favoráveis

    Desfavoráveis

    Leite desnatado, iogurte light ou desnatado

    Leite integral e iogurte integral

    Ricota, cottage, queijo minas frescal, requeijão light e queijos light com moderação

    Queijos amarelos e integrais, como mussarela, parmesão, provolone, brie, roquefort etc.

    Carne vermelha magra: alcatra, patinho, coxão mole, lagarto, filé mignon

    Carne vermelha gorda: cupim, picanha, costela, contrafilé, e miúdos (dobradinha, fígado etc.)

    Aves sem pele (peito, sobrecoxa, coxa)

    Pele de aves e miúdos como moela e coração

    Maionese sem colesterol

    Maionese comum

    Clara de ovos

    Gema de ovos (máximo 2 unidades por semana)

    Peito de peru, linguiça de peru ou frango

    Linguiça, salsicha, salame, mortadela, presunto

    Biscoitos integrais, cream cracker, água e sal

    Biscoitos recheados e wafer

    Margarina sem gordura trans, margarina com fitosteróis

    Margarina comum e manteiga

    Produtos light com moderação, marshmellow

    Creme de leite, leite condensado, chantilly

    Óleo de soja, canola, girassol, milho, azeite de oliva

    Bacon, toucinho, leite de coco, banha vegetal (gordura vegetal hidrogenada), azeite de dendê

    Assados, grelhados, ensopados ou cozidos

    Frituras e preparações à milanesa ou à dorê

    Frutas, compotas de frutas, gelatina, pudim light

    Tortas, chocolate, bolos, quindim e pudim

    Peixes ricos em Omega 3: sardinha, salmão, atum e truta

    Frutos do mar: camarão, ostra, lagosta, lula, polvo, mariscos


    Unidades