• Exercício físico de baixa ou moderada intensidade tem efeito protetor sobre o aparelho digestivo | HCor | Hospital do Coração
    Exercício físico de baixa ou moderada intensidade tem efeito protetor sobre o aparelho digestivo

    Exercício físico de baixa ou moderada intensidade tem efeito protetor sobre o aparelho digestivo

    Caminhadas e exercícios aeróbicos são os mais indicados àqueles pacientes que possuem problemas gastrointestinais e procuram inserir a atividade física na rotina diária

    É fato que os exercícios físicos são benéficos para o organismo e que auxiliam na prevenção e melhoria de diversas doenças, dentre elas vale ressaltar as doenças cardiovasculares, a obesidade e o diabetes. No caso de doenças gastrointestinais, como gastrites, esofagites, úlceras e constipação intestinal, a atividade física moderada influencia, de forma positiva, os sintomas que acometem esses pacientes.

    De acordo com o gastroenterologista do HCor – Hospital do Coração, em São Paulo, Dr. André Siqueira Matheus, o exercício físico de baixa ou moderada intensidade tem efeito protetor sobre o aparelho digestivo, além de prevenir o câncer de cólon, a diverticulite e a colelitíase.

    Mas cuidado, não exagere. Segundo o gastroenterologista os exercícios aeróbicos intensos e de longa duração, realizados principalmente por atletas, podem provocar sintomas gastrointestinais, tanto para os que possuem doenças prévias quanto para os que não possuem.

    “Estes sintomas podem ser divididos entre as do aparelho digestivo superior (vômitos, náuseas e queimação ou azia, sintomas relacionados ao esôfago e estômago) e as do inferior (diarreia, cólica abdominal, perda de apetite, sangramento e aceleração dos movimentos intestinais) e sintomas relacionados ao intestino delgado e grosso”, esclarece Dr. Matheus.

    “A causa desses sintomas durante o exercício é multifatorial e inclui a redução do fluxo sanguíneo intestinal, a liberação de hormônios gastrointestinais, o estresse mecânico do exercício sobre os órgãos abdominais, a desidratação, fatores psicológicos, idade, sexo, dieta e o nível de treinamento do indivíduo”, afirma Dr. Matheus.

    Caminhadas e corridas de baixa intensidade são ideais:

    Para o fisiologista do Sport Check-up do HCor, Diego Leite de Barros, caminhadas e corridas são as atividades mais indicadas para pessoas com problemas gastrointestinais e que veem no exercício uma prática saudável e essencial para manter a saúde e qualidade de vida.

    “Indicamos caminhadas e corridas de baixa intensidade para os pacientes com problemas gástricos. Treinos de fortalecimento muscular também são recomendados, porém com baixa intensidade e maior repetição das séries de exercícios. Quanto maior a intensidade, maiores as chances de sofrer com os sintomas advindos de doenças estomacais”, completa o fisiologista.

    Os médicos fazem um alerta: náuseas, vômitos e dor abdominal durante a realização de atividade física pode também ser sintoma do aparecimento de doenças cardiovasculares, como um infarto agudo do miocárdio. Por isso, no caso de aparecimento de qualquer sintoma durante a realização de atividade física, um médico deve ser consultado.

    Outras dicas para evitar problemas gastrointestinais durante os exercícios são: evitar o consumo de soluções hipertônicas de carboidratos imediatamente antes da atividade física, evitar o consumo de dieta rica em fibras antes da competição, ingerir gorduras e proteínas com moderação antes da competição e evitar altas doses de vitamina C.

    Dicas para prevenção de problemas gastrointestinais relacionados à atividade física:

    Aumentar de forma gradativa a intensidade da atividade física;

    Evitar a desidratação

    Evitar o consumo de soluções hipertônicas de carboidratos imediatamente antes da atividade física;

    Evitar o consumo de dieta rica em fibras antes da competição;

    Ingerir gorduras e proteínas com moderação antes da competição;

    Evitar altas doses de vitamina C e bicarbonato;

    Evitar o uso de drogas que atuem sobre o sistema gastrintestinal, tais como os antiinflamatórios não esteróides e laxantes;

    Consultar um gastroenterologista, caso haja queixa frequente de sintomas gastrointestinais em repouso e durante o exercício.

    Unidades