• HCor em parceria com o Ministério da Saúde lança Dieta Cardioprotetora | HCor | Hospital do Coração
    HCor em parceria com o Ministério da Saúde lança Dieta Cardioprotetora

    HCor em parceria com o Ministério da Saúde lança Dieta Cardioprotetora

    A maioria da população nem sempre se dá conta da importância da alimentação na manutenção e preservação da saúde. O alimento é o “combustível da vida”, pois é ele quem fornece os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo. Portanto, nossa alimentação é responsável pela nossa saúde como pelo desequilíbrio do nosso organismo, o que desencadeia a maioria das doenças crônicas que afetam a população, independente da sua faixa social, etária e cultural.

    Baseado na importância e no papel da alimentação na diminuição dos fatores de risco das doenças cardíacas, foi elaborado pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do HCor em parceria com o Ministério da Saúde um estudo clínico randomizado, nacional e multicêntrico, para avaliar a efetividade de um Programa Alimentar Brasileiro Cardioprotetor na prevenção de eventos cardiovasculares.

    O Programa Alimentar Cardioprotetor é elaborado com alimentos cultivados no País, de baixo custo, valorizando as diferenças regionais e culturais brasileiras e seguindo as recomendações nutricionais, nacionais e internacionais para auxiliar na redução dos fatores de risco cardíaco. O projeto piloto teve início em 2011 e será concluído até o final de 2012.

    “Este Programa Alimentar é comparado à prática usual de prescrição dietética para pacientes com histórico de doenças cardiovasculares e fatores de risco, e avalia a redução e melhora dos mesmos, tais como perda de peso, diminuição da medida de circunferência da cintura, diminuição dos níveis de colesterol, glicemia e pressão arterial”, explica o Dr. Otávio Berwanger, responsável pelo IEP – HCor

    Dieta Cardioprotetora

    Na região de São Paulo, ao avaliar os alimentos adquiridos exclusivamente para consumo no domicílio, aponta-se para uma inadequação na aquisição das frutas, verduras, legumes e leguminosas, em contraste com a elevada obtenção de açúcares e refrigerantes. Estes alimentos de baixa qualidade nutricional vêm ganhando espaço na mesa dos brasileiros, conforme relatos em pesquisas.

    “A alimentação equilibrada é importante para a redução dos fatores de risco e, principalmente, no desenvolvimento de diversas doenças. Entretanto, quando se fala em alimentação saudável ou equilibrada a primeira idéia é de uma refeição extremamente restritiva ou, muitas vezes, inacessível a população brasileira”, explica Bernardete Weber, Superintendente de Qualidade e Responsabilidade Social do HCor.

    As doenças crônicas são em grande parte evitáveis. Embora a idade, sexo e predisposição genética sejam fatores de risco não-modificáveis, existem fatores de risco passiveis de mudanças, e inclui aqueles fatores comportamentais, em especial destaque a alimentação.

    Segundo Weber, do IEP HCor, as mudanças na escolha alimentar da população brasileira ocorrida nos últimos 20 anos apontam para o crescimento da ingestão de alimentos industrializados, que têm elevada proporção de gordura saturada e de açúcar, além de possuírem baixo teor de fibras.

    Unidades