• HCor promove ciclo de palestras no Dia Mundial do Rim | HCor | Hospital do Coração
    HCor promove ciclo de palestras no Dia Mundial do Rim

    HCor promove ciclo de palestras no Dia Mundial do Rim

    HCOR PROMOVE CICLO DE PALESTRAS NO DIA MUNDIAL DO RIM

    Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia, um em cada dez adultos brasileiros possui algum tipo de doença renal crônica, sendo que 60% desconhecem essa situação.

    O HCor promove no dia 07/03 um ciclo de palestras gratuitas à população em celebração ao Dia Mundial do Rim. Com o objetivo de conscientizar e informar sobre a importância do diagnóstico precoce e da prevenção da doença renal – principalmente na forma crônica -, o evento tem o intuito de esclarecer sobre a função dos rins e os sintomas da hipertensão arterial e diabetes (que são as principais causas da doença renal crônica), bem como a importância da realização de exames regularmente, que incluam a avaliação renal, para os portadores que pertencem a um grupo de risco.

    Estimativas de 2011 revelam que cerca de 10 milhões de brasileiros são portadores de doenças renais crônicas, mas a maioria não sabe disso. As principais causas destas doenças são o diabetes, a hipertensão arterial e a glomerulonefrites. Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia, um em cada dez adultos brasileiros possui algum tipo de doença renal crônica, sendo que 60% desconhecem essa situação. “Os principais sintomas são pressão alta, sangue na urina, inchaço nas pernas e no rosto, náuseas, vômitos, palidez e infecções urinárias recorrentes”, explica a nefrologista do HCor, Dra. Leda Daud Lotaif.

    Segundo a nefrologista do HCor, a doença renal não é rara – 10% da população, ou seja, aproximadamente uma em cada dez pessoas, apresenta evidência de disfunção renal. “Por se tratar de uma doença silenciosa, muitos indivíduos só procuram ajuda quando a doença já está num estágio mais avançado. Os problemas que frequentemente prejudicam os rins, tais como a hipertensão arterial e a diabetes, também afetam o coração. Já foi demonstrado que a detecção e prevenção precoce da doença renal podem melhorar os resultados de saúde geral a longo prazo, reduzindo inclusive a doença cardiovascular”, esclarece Dra. Lotaif.

    Prevenção:

    Algumas medidas simples são capazes de detectar se você tem doença renal ou se tem maior risco de ser portador da mesma. “Basta medir a pressão arterial e pedir ao seu médico para fazer um exame de urina e a dosagem no sangue da creatinina. O exame de urina pode mostrar a presença de proteína, cuja presença continuada pode indicar uma lesão renal em fase inicial”, esclarece Dra. Lotaif.

    A creatinina é uma substância do sangue que é filtrada pelos rins, por isso o seu aumento no sangue significa que há uma diminuição da função dos rins. Com a dosagem da creatinina no sangue o seu médico pode, através de fórmulas simples, calcular a filtração glomerular, verificar se existe doença renal crônica e em qual estágio ela se encontra.

    Outra lembrança importante é que a doença renal em suas fases iniciais tem um tratamento simples e eficaz, principalmente a base de dieta, medicações para tratamento de pressão alta e diabetes, quando estas doenças estiverem presentes e remédios para reduzir a eliminação de proteínas pelos rins.

    As pessoas com maior risco de ter doenças renais são aquelas que têm:

    • diabetes;
    • pressão alta;
    • pessoas com doença renal na família;
    • idosos;
    • pessoas com doenças cardiovasculares.

    Sintomas que podem estar relacionados à doença renal:

    • fraqueza;
    • cansaço;
    • inchaço em rosto, pés ou pernas;
    • dificuldades para urinar;
    • urina com espuma;
    • urina com alterações na sua cor (escura ou avermelhada);
    • aumento ou diminuição da quantidade de urina.

    Unidades