• HCor realiza palestra gratuita sobre a prevenção das arritmias cardíacas e morte súbita | HCor | Hospital do Coração
    HCor realiza palestra gratuita sobre a prevenção das arritmias cardíacas e morte súbita

    HCor realiza palestra gratuita sobre a prevenção das arritmias cardíacas e morte súbita

        O combate às arritmias cardíacas representa um grande desafio para médicos e pacientes, pois o primeiro sintoma pode ser, muitas vezes, a morte súbita. Quem leva uma vida saudável e faz acompanhamento médico reduz muito o risco das arritmias. Por isso, o HCor – Hospital do Coração, quer mostrar à população que boa alimentação, exercícios regulares e check up podem salvar muitas vidas.

        Ministrada pelo Dr. José Carlos Pachón e Enrique Pachón, do Serviço de Arritmias do HCor, a palestra tem o objetivo de esclarecer ao público leigo sobre o diagnóstico, riscos e os novos tratamentos para as arritmias cardíacas, principal causa da morte súbita, bem como alertar a população sobre o derrame cerebral.

        Após a palestra, será apresentada uma aula prática com bonecos nos quais os participantes poderão fazer um treinamento básico de como atender uma pessoa com parada cardíaca bem como as novas técnicas de Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP). Esta palestra será ministrada pelo supervisor de enfermagem Rubens Severo e, após apresentação, haverá um treinamento para utilizar o DEA (Desfibrilador Automático Externo), aparelho capaz de recuperar o ritmo cardíaco de uma pessoa que tenha apresentado uma eventual morte súbita, sendo apenas necessário seguir instruções básicas de orientação do próprio aparelho.

        “Neste ano daremos ênfase à avaliação do pulso pela própria população. A avaliação do pulso individualmente poderá trazer muitas informações sobre a condição do ritmo cardíaco, permitindo a identificação de bradicardia (pulso lento – abaixo de 50bpm em adultos), de taquicardia (pulso rápido – acima de 100bpm em adultos no repouso), extrassístoles (pulsos “extras” que se antecipam ao ciclo cardíaco), e pulso irregular (irregularidade entre os batimentos, com frequentes falhas e acelerações)”, explica Dr. Enrique Pachon, Cardiologista do Serviço de Arritmias Cardíacas do HCor – Hospital do Coração.

        Segundo o cardiologista, esta avaliação é muito importante, pois apesar de extremamente simples, a verificação do pulso é raramente feita pelas pessoas. “Iremos explicar a maneira correta de fazê-la e como identificar anormalidades do pulso, orientando as pessoas a procurarem tratamento especializado”, esclarece o Dr. Pachon.

        Apesar dos evidentes progressos como o surgimento de novas técnicas e medicamentos, além da evolução de medidas preventivas, nos Estados Unidos, por exemplo, ocorrem cerca de 450 mil casos de morte súbita por ano. No Brasil, o número chega a 250 mil, ou seja, a cada 2 a 5 minutos ocorre um caso. O risco estimado de morte súbita entre pessoas com idade até 35 anos é de 0,75 a cada 100 mil homens e de 0,13 a cada 100 mil mulheres. Acima dessa idade, o número se iguala entre homens e mulheres, com seis mortes a cada 100 mil pessoas.

        As arritmias cardíacas são uma das principais causas de mortalidade no País. O distúrbio, que altera o ritmo dos batimentos cardíacos, supera as vítimas de AIDS, câncer de mama e de pulmão. “A fibrilação atrial é um tipo de arritmia cardíaca em que a frequência e o ritmo do coração tornam-se anormais, sendo a arritmia cardíaca mais frequente na atualidade e a maior causa de derrame cerebral na população. No Brasil, estima-se que cerca de 2 milhões de pessoas sejam portadoras desta arritmia. Na medida em que aumenta a idade média da população este distúrbio torna-se mais prevalente chegando à taxa de 9% aos 80 anos”, explica.

        Após a aula de arritmias, o cardiologista vai falar sobre o Acidente Vascular Cerebral (AVC ou Derrame Cerebral), à população no HCor. No Brasil o AVC é a primeira causa de morte e incapacidade – com um registro de aproximadamente 250 mil mortes por ano. Além desse dado alarmante, muitos brasileiros ficam com sequelas permanentes e incapacitados de realizar as suas atividades normais. Mundialmente esse número é ainda maior sendo identificada uma morte por AVC a cada seis segundos, independentemente da idade ou sexo do paciente.

        “Uma pessoa que sofre um derrame tem até 3 horas após o incidente para utilizar o medicamento específico (o trombolítico) para reduzir ou evitar as sequelas. O medicamento existente no Brasil é aprovado pelos protocolos do Ministério da Saúde e sua eficácia é de 50% no que diz respeito à melhora do paciente. Existem dois tipos de AVC, o isquêmico (que ocorre pela obstrução ou redução brusca do fluxo sanguíneo em uma artéria cerebral causando falta de circulação no território vascular) ou hemorrágico (causado pela ruptura espontânea de um vaso, com extravasamento de sangue para o interior do cérebro). O AVC isquêmico é mais comum com aproximadamente 85% dos casos e o hemorrágico está presente em 15% dos casos”, alerta Dr. Pachón.

    Importância da prevenção e primeiros socorros nos casos de arritmias cardíacas:

        Para prevenir a doença, é preciso ter hábitos saudáveis, como reduzir o estresse, ter uma alimentação balanceada, rica em legumes, frutas e verduras, não exagerar no consumo de bebidas alcoólicas e de energéticos, não fumar e praticar atividades físicas regularmente. “Dar atenção à saúde emocional e, pelo menos uma vez por ano, consultar um cardiologista para realizar exames preventivos e, caso seja portador de alguma doença cardíaca, é primordial seguir as orientações de seu médico, são condutas importantes para serem seguidas”, esclarece Dr.Pachón.

        Se a doença for diagnosticada, o cardiologista pode adotar algumas intervenções como o uso de medicamentos, ablação (tratamento definitivo sem cirurgia) ou implante de marca-passo. O mais importante é saber que, apesar de complexas e de alto risco, atualmente todas as arritmias têm tratamento, permitindo que os pacientes retornem à sua vida normal em curto período após o início do tratamento.

        Segundo o cardiologista do HCor, caso o paciente não tome os cuidados necessários ou não procure uma avaliação médica haverá um aumento considerável de apresentar um evento cardíaco de alto risco. “Mais de 95% das mortes súbitas ocorrem fora do ambiente hospitalar. Por isso, a rápida desfibrilação e o suporte básico de vida podem aumentar consideravelmente a taxa de sobrevida. Se o acesso ao desfibrilador ocorrer entre cinco e sete minutos após a parada cardíaca, mais da metade dos pacientes pode ser salva”, enfatiza Dr. Pachón.

    Dados alarmantes:

        ♥ Estima-se que 90 milhões de pessoas apresentam insuficiência cardíaca no mundo;

        ♥ 5% da população brasileira possui algum tipo de arritmia;

        ♥ 450 mil casos de morte súbita por ano nos Estados Unidos;

        ♥ 250 mil casos de morte súbita por ano no Brasil;

        ♥ Entre cada 2 a 5 minutos ocorre 1 morte súbita no Brasil.

    Serviço de Arritmias Cardíacas do Hospital do Coração:

        Com um dos mais avançados centros tecnológicos de saúde da América Latina, o HCor atende mais de 1,5 mil pacientes por mês para investigação diagnóstica, prevenção e tratamento dos mais variados tipos de arritmias cardíacas. “Trata-se de uma questão que merece atenção permanente. O tratamento preventivo das arritmias cardíacas é altamente eficaz permitindo evitar grande número de casos de morte súbita” explica Dr. Pachón.

        Um método muito utilizado para o tratamento definitivo das arritmias é a ablação por radiofrequência. Este foi o maior avanço no tratamento das arritmias cardíacas que ocorreu no final do século passado e o HCor foi um dos primeiros Hospitais da América do Sul a realizar este procedimento.

        De acordo com o Dr. Pachón, este método permite curar uma grande variedade de arritmias sem a necessidade de cirurgia. “Os focos das arritmias são eliminados sem abertura do tórax, por meio da aplicação de energia de radiofrequência através de um eletrodo posicionado sob controle computadorizado. O paciente permanece no hospital de um a dois dias, e poderá retornar rapidamente para suas atividades”, esclarece.

        Um dos diferenciais do Serviço de Arritmias HCor é o Web-Looper, equipamento portátil que grava o ritmo cardíaco e envia o eletrocardiograma, em tempo real, via internet, diretamente para o médico, permitindo um diagnóstico imediato a prevenção e o tratamento das arritmias.

        Outro grande avanço no auxílio aos pacientes que sofrem deste distúrbio são os ressincronizadores cardíacos, que são marca-passos especiais que apresentam pelo menos três eletrodos. Estes marca-passos promovem a estimulação sequencial do coração em vários pontos, sincronizando as paredes cardíacas. “Este recurso permite aumentar a eficiência do coração que apresenta insuficiência cardíaca bem como a melhora da qualidade de vida e a redução da mortalidade destes pacientes”, salienta Pachón.

        O HCor sempre foi inovador e pioneiro, buscando oferecer aos seus pacientes os mais avançados recursos, tanto de diagnóstico quanto de tratamento. A Instituição reúne profissionais especializados e equipamentos de ponta para oferecer o que há de melhor na cardiologia mundial, tendo se transformado num centro de referência para o diagnóstico, tratamento e prevenção das doenças cardiovasculares.

    Anote na agenda:

    Palestra: Arritmias Cardíacas e Morte Súbita com Dr. José Carlos Pachón e Dr. Enrique Pachón, do Serviço de Arritmias Cardíacas do HCor – Hospital do Coração

    Aula Prática com as novas técnicas de Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP) e treinamento para utilizar o DEA (Desfibrilador Automático Externo) para a população com o supervisor de enfermagem Rubens Severo

    Data: 12 de novembro (quarta-feira

    Horário: às 10h

    Local: Edifício Adib Jatene – 1 andar – R: Desembargador Eliseu Guilherme, 130 – Paraíso – próximo a Pça Oswaldo Cruz.

    Entrada franca

    Confirme sua presença através do e-mail convite@hcor.com.br

    Unidades