Imunoterapia para pacientes com câncer foi destaque durante o maior congresso de   oncologia clínica do mundo

A prevenção também foi um dos assuntos mais debatidos durante o congresso, com foco na obesidade – considerada o “novo vilão” -, ultrapassando o tabagismo como causa principal no desenvolvimento de neoplasias

Oncologistas do HCor Onco participaram da ASCO Annual Meeting 2015 – considerado o maior congresso de oncologia clínica do mundo, para discutir as principais estratégias de práticas médicas e novos tratamentos dos cânceres mais recorrentes na população mundial. Na ocasião, um dos principais temas abordados durante o encontro foi a imunoterapia. Nesta modalidade de tratamento, o medicamento promove a estimulação do sistema imunológico do paciente para que ele próprio possa combater a doença.

Segundo a Oncologista Clínica do HCor Onco, Dra. Lucíola Pontes, um dos estudos de destaque incluiu o teste de uma nova droga chamada Nivolumab para o tratamento de câncer de pulmão avançado. O Nivolumab é um anticorpo anti-PD1 (proteína de superfície celular) que se liga aos receptores PD1 das células T (células de defesa de nosso sistema imunológico), para restaurar a capacidade das células T de combater as células cancerígenas. Nesse estudo, que envolveu 272 pacientes, aqueles que receberam a imunoterapia tiveram uma sobrevida maior do que os pacientes tratados com quimioterapia, e ainda com menos efeitos colaterais.

Outro estudo de relevância, ainda no campo da imunoterapia, é a combinação de duas drogas para o tratamento de pacientes com melanoma metastático (câncer de pele) por meio do Ipilimumab + Nivolumab. Ambas as medicações estimulam o sistema imune por vias distintas. O Ipilimumab já é utilizado rotineiramente para o tratamento de pacientes com câncer de pele, com benefícios em relação à quimioterapia. “Neste estudo, os resultados foram bastante animadores, pois cerca de 57% dos pacientes apresentaram uma resposta favorável à combinação, com redução do tamanho dos tumores versus 19% daqueles que receberam apenas o Ipilimumab”, explica a oncologista do HCor Onco.

De acordo com a oncologista do HCorOnco, a imunoterapia também está sendo estudada em outros tipos de cânceres, como tumores de cabeça e pescoço e tumores de intestino. “Sem dúvida, a imunoterapia no tratamento do câncer representa uma nova era na oncologia. Desafios incluem a melhor forma de selecionar os pacientes candidatos a esses tratamentos e como administrar os altos custos envolvidos com os mesmos”, enfatiza Dra. Lucíola.

A prevenção também foi um dos assuntos mais debatidos durante o congresso, com foco na obesidade. A obesidade é considerada o “novo vilão”, ultrapassando o tabagismo como causa principal no desenvolvimento de neoplasias. Tão importante quanto desenvolver novos tratamentos é prevenir o câncer. “Adotar um estilo de vida saudável por meio da prática de atividade física regularmente, além do consumo de alimentos ricos em fibras como frutas, verduras e legumes, são práticas fundamentais e benéficas para a prevenção do câncer”, esclarece a oncologista.

HCor Onco:

O HCor Onco conta com uma clínica especializada em radioterapia e radiocirurgia, localizada na Rua Tomás Carvalhal 172, no Paraíso, a duas quadras do complexo hospitalar. O espaço é equipado com acelerador linear de alta precisão, capaz de realizar procedimentos radioterápicos com o mínimo de dano aos tecidos saudáveis.

Além da clínica especializada, os pacientes do HCorOnco também contam com a infraestrutura do HCor, incluindo o edifício Dr. Adib Jatene, com espaços cirúrgicos e um andar inteiro dedicado à oncologia no 12º andar, equipado com 10 boxes para tratamento com medicamentos quimioterápicos, além de consultórios.

A infraestrutura do HCorOnco também compartilha uma unidade de internação para pacientes oncológicos e os serviços diagnósticos do hospital, incluindo endoscopias, tomografia computadorizada, PET scan entre outros. Os serviços oferecidos buscam contemplar todas as necessidades que um paciente possa ter.

A equipe de oncologia atua segundo o conceito de clínicas integradas, no qual o paciente é atendido por uma equipe de médicos especializados, em geral, o cirurgião, o radioterapeuta e o oncologista clínico, todos reunidos na mesma consulta. De acordo com o caso, radiologistas, pneumologistas e hepatologistas também podem participar do atendimento. A clínica integrada oferece agilidade e segurança aos pacientes e familiares.

Devido ao envelhecimento da população brasileira e também ao fato da doença atingir mais pessoas com idade avançada, o prédio conta com especialistas em oncogeriatria para oferecer um atendimento personalizado e seguro. Há também uma equipe focada no combate à dor e cuidados paliativos, que contempla os preceitos básicos de um atendimento humanizado nas diferentes fases do tratamento.