• Instituto do Joelho HCor alerta para aumento do risco de lesões durante o outono/inverno | HCor | Hospital do Coração
    Instituto do Joelho HCor alerta para aumento do risco de lesões durante o   outono/inverno

    Instituto do Joelho HCor alerta para aumento do risco de lesões durante o outono/inverno

    Neste período, são atendidos de 15 a 20 pacientes por semana com queixas de dores e lesões no joelho, decorrentes da prática de atividade física sem aquecimento prévio. Já no verão este número é, em média, três vezes menor

    Durante o inverno, o aumento de lesões nos músculos e articulações é bastante frequente, pois muitas pessoas resolvem intensificar seus treinamentos para chegar ao verão com o corpo esbelto. Porém, a atividade física aliada às súbitas mudanças de temperatura e à preparação inadequada pode causar dores, além de lesões, principalmente durante esta época do ano.

    De acordo com o ortopedista e responsável pelo Instituto do Joelho do HCor – Hospital do Coração, Dr. Rene Abdalla, durante o inverno aumenta o número de pacientes que aparecem nos consultórios do HCor com lesões leves de joelho em decorrência de atividade física. Neste período, são atendidos de 15 a 20 pacientes por semana com queixas de dores e lesões no joelho, decorrentes da prática de atividade física sem aquecimento prévio. Já no verão este número é de seis pacientes por semana.

    Nesta época do ano a falta de aquecimento aumenta ainda mais os riscos de lesões.“O número de casos de estiramento muscular é maior no frio, principalmente pela manhã, quando as pessoas realizam as atividades com pressa porque tem compromisso depois e querem terminar tudo rápido”, enfatiza Dr. Abdalla.

    Quando o corpo está em repouso, o fluxo de sangue para os músculos é baixo, entre 15% e 20%. Durante um exercício, porém, esse fluxo pode atingir índices de 70% a 90%. “Um músculo só consegue ter desempenho máximo e otimizado quando a circulação sanguínea local está plenamente ativada. O aquecimento é essencial, pois proporciona uma transição progressiva do estado de repouso para o de ação. São necessários, no mínimo, dez minutos nessa etapa de preparação”, diz.

    Além dos joelhos, os músculos mais afetados pela síndrome das baixas temperaturas são os posteriores da coxa e os da panturrilha. E a recuperação leva um tempo: é preciso se afastar da atividade física por mais de 15 dias. O tratamento consiste em fisioterapia e uso de antiinflamatórios, sem imobilização.

    Segundo o especialista do Instituto do Joelho HCor, muitos praticantes de atividade física preferem buscar na farmácia a solução para o desconforto, ao invés de recorrer a um médico. Por vezes, a alternativa mais corriqueira é a aquisição de acessórios tensores disponíveis para os joelhos e coxas. Feitos de elástico ou borracha, eles prometem acabar com o incômodo, prevenir o agravamento ou ainda a ocorrência de novas lesões. Porém, é exatamente no uso destes acessórios sem orientação que mora o perigo.

    O segundo alerta é sobre o risco de uma nova lesão. “O acessório tira a sensibilidade do local lesionado, o que gera a falsa sensação ao corpo de que o problema não existe mais. Quando a utilização do acessório é suspensa, qualquer movimento pode causar o retorno ou ainda o agravamento da lesão”, explica Dr. Abdalla.

    Para o especialista do HCor, as lesões causadas por exercícios durante o outono/inverno podem ser consequência de treinamentos inadequados ou irregulares, preparo físico ruim, fragilidade dos músculos, tendões ou ligamentos ou até mesmo decorrentes de problemas estruturais naturais que podem forçar determinadas partes do corpo. Para preveni-las, a etapa do aquecimento antes de qualquer atividade física é fundamental.

    A atividade física que causa dor deve ser evitada até que a recuperação seja completa. “O exercício deve ser interrompido quando existir dor em qualquer parte do corpo, para não provocar mais danos à área afetada”, esclarece Dr. Abdalla.

    Instituto do Joelho HCor:

    Tem como o objetivo aperfeiçoar e atualizar técnicas cirúrgicas e de reabilitação (fisioterapia), propondo um atendimento de alto nível aos esportistas de todas as modalidades, bem como de doenças da cartilagem articular (artrose). Por meio de consultas e avaliações realizadas por uma equipe multiprofissional, o Instituto do Joelho define o melhor tratamento ou prevenção com resultado final no mais curto espaço de tempo.

    Aliado aos mais altos padrões de tecnologia para o tratamento das lesões do joelho, o Instituto disponibiliza de máquina de isocinético para avaliação computadorizada da musculatura ao redor do joelho, Balance System, que tem a finalidade de mensuração e treinamento da agilidade da articulação. Além disso, o Instituto conta também com o SportsMetric™, que tem como objetivo a prevenção de lesões bem como a avaliação de retorno ao esporte.

    Centro de Ortopedia e Reabilitação no Esporte HCor:

    Considerado um dos mais importantes centros nacionais da especialidade, o Centro de Medicina Esportiva do HCor reúne uma equipe altamente especializada com os mais modernos recursos tecnológicos para dar assistência a todas as patologias ortopédicas.

     

    Unidades