• Dicas e cuidados sobre a alimentação para uma Páscoa saudável | HCor
    Nutricionista do HCor dá dicas para uma Páscoa saudável

    Nutricionista do HCor dá dicas para uma Páscoa saudável

    Na lista de Páscoa não pode faltar o chocolate nem o bacalhau, para preparar o menu tradicional de comemoração desta data especial;
    Mas é preciso ter cuidados durante a compra e conservação, e o consumo sem exageros.

    A Páscoa é um período em que muitas pessoas acabam exagerando na alimentação, com alimentos calóricos e o consumo exagerado de chocolates. No entanto, é possível preparar receitas saudáveis e deliciosas para comemorar a Páscoa sem excessos. Na lista da Páscoa não pode faltar o chocolate nem o bacalhau, para preparar o menu tradicional de comemoração desta data especial.

    Vale a pena aproveitar o período e consumir mais peixes, pois são inúmeros os benefícios à saúde. Segundo a gerente de Nutrição do HCor (Hospital do Coração), Rosana Perim, os peixes possuem proteínas de fácil digestão, e com um valor nutritivo superior ao das carnes vermelhas. Além disso, são ricos em substâncias que o corpo não produz, como o ômega 3 – um aliado do coração.

    O bacalhau, a grande atração do almoço, pode ser desfiado, servido em postas ou em lascas. O cuidado começa no pré-preparo. Um dessalgue correto é o primeiro passo para o sucesso da receita. “É preciso que se tomem alguns cuidados durante o dessalgue do bacalhau, principalmente para os hipertensos. A recomendação é deixar o peixe por mais tempo de molho, e fazer as trocas mais frequentes de água”, recomenda a nutricionista.

    Outra dica de comida saudável é preparar o bacalhau regado com muito azeite de oliva, rico em gordura monoinsaturada, a mais benéfica para o coração, e também contém substâncias antioxidantes que impedem a ação dos radicais livres, que provocam a oxidação do colesterol, o acúmulo de placas de gorduras nos vasos sanguíneos e também o envelhecimento das células.

    “Para aqueles que não apreciam o bacalhau, mas são amantes de peixes, não faltam boas opções como: pescada, salmão, linguado, sardinha, que são ricos em ômega 3. Por isso, é hora de aproveitar essa tradição e usufruir desses deliciosos e saudáveis alimentos e, principalmente, criar opções de prepará-los e servi-los à mesa de forma impecável”, recomenda Rosana Perim.

    Cuidados com a compra e conservação:

    Normalmente não há diferença de qualidade entre peixe fresco e peixe congelado, mas alguns cuidados com a conservação e o transporte do alimento devem ser observados pelo consumidor. “Na hora da compra é importante verificar o brilho dos olhos, a cor e o odor do pescado. Sua consistência deve ser firme e a carne não deve afundar ao sofrer a pressão dos dedos. O ideal é adquirir produtos de estabelecimentos certificados pelos órgãos fiscalizadores”, explica.

    Quando optar pela compra do pescado congelado peixe congelado, é importante ficar atento para que o produto não descongele durante o seu transporte. “Caso isso aconteça, o ideal é que o peixe não volte para o congelador e, sim, que seja preparado para consumo”, aconselha.

    E como resistir aos chocolates?

    Saborosos, porém com alto teor de açúcar, gordura e muitas calorias, o chocolate deve ser consumido com moderação, para que não seja prejudicial à saúde. A grande maioria é composta de manteiga de cacau, massa de cacau, sacarose (um tipo de açúcar) e aromatizantes.

    Quando consumido em quantidade moderada fornece vitaminas, sais minerais e flavonoides (substâncias antioxidantes, presentes principalmente nos flavonoides, que retardam o envelhecimento e contribuem para a redução dos riscos de doenças cardiovasculares), além de impedir que o mau colesterol (LDL) se acumule no sangue.

    “O chocolate amargo é o mais recomendado. Os benefícios dependem da quantidade de flavonoides presente no chocolate, o que varia de acordo com o tipo de produto. Nos chocolates tipo amargo ou preto, com mais de 70% de cacau, as quantidades de flavonoides são maiores. Por isso são os mais indicados. Lembre-se: quando consumido na medida certa, ou seja, 30 gramas ao dia, os benefícios ultrapassam os malefícios”, aconselha Rosana Perim.

    Chocolates sem exageros:

    O chocolate é um alimento nutritivo e não precisa ser excluído da dieta alimentar. Porém, também é rico em gorduras e deve ser consumido com moderação. Ele contém substâncias que estimulam a produção de serotonina, hormônio que atua no sistema nervoso central, e proporciona a sensação de relaxamento e prazer. “Além disso, o cacau contém teobromina e flavonoides, que favorecem a diurese e estimulam o sistema nervoso central e o músculo cardíaco, contribuindo para o bom funcionamento do coração e prevenindo a hipertensão arterial”, esclarece.

    Mesmo proporcionando benefícios à saúde, o chocolate deve ser consumido sem exageros. Não há uma quantidade mínima recomendada, pois o valor calórico depende do tipo do ovo de Páscoa. O campeão em calorias é o chocolate branco, além dos chocolates ao leite com oleaginosas, nozes ou castanhas. Em média, 100 gramas de chocolate têm cerca de 560 calorias. Já o meio amargo é o que conta com menores índices de caloria calorias: cerca de 475 a cada 100 gramas. “O ideal é observar a quantidade de cacau, de gordura e açúcares nos rótulos dos ovos de Páscoa”, finaliza a nutricionista do HCor.

    Unidades