• Nutróloga do HCor aponta os alimentos que mais causam alergia alimentar | HCor | Hospital do Coração
    Nutróloga do HCor aponta os alimentos que mais causam alergia alimentar

    Nutróloga do HCor aponta os alimentos que mais causam alergia alimentar

    Leite de vaca, soja, amendoim, ovo, castanhas, trigo, peixes e frutos do mar são alimentos responsáveis por 90% das alergias

    A alergia alimentar é uma reação anormal do nosso organismo a alguma proteína presente na comida. O problema ocorre quando o corpo identifica como uma ameaça substâncias que, na verdade, não causam doenças, iniciando uma resposta imune para combatê-las. Leite de vaca, soja, amendoim, ovo, castanhas, trigo, peixe e frutos do mar são os alimentos responsáveis por 90% das alergias.

    A melhor forma de tratar uma alergia alimentar, uma vez constatado o quadro alérgico, é evitar a ingestão do alimento e seus derivados. Em caso de reação simples, como manifestações cutâneas, o alérgico pode tomar um anti-histamínico, popularmente conhecido como antialérgico. Se a reação for grave, como manifestações clínicas do sistema respiratório, cardiovascular (tontura e desmaio) ou fechamento da glote, o paciente deve ser imediatamente levado ao hospital.

    Para a nutróloga do HCor – Hospital do Coração, Daniela Gomes, esta reação atinge cerca de 8% das crianças com idade inferior aos três anos e quase 3% dos adultos. “Entre os fatores que aumentam o risco de apresentar a doença estão a predisposição genética. Mais de 50% dos pacientes com alergia alimentar diagnosticada possuem histórico familiar, além de falhas dos mecanismos de defesa e permeabilidade do sistema digestivo”, esclarece Dra. Daniela.

    Os sintomas mais comuns da alergia alimentar são reações epidérmicas, como inchaços, coceiras e urticária, e no sistema digestivo, como disenteria, dores abdominais e vômito. “Também é possível, apesar de menos comum, o desencadeamento de alguns sintomas respiratórios, como tosses, chiados no peito e rouquidão”, aponta a nutróloga.

    Tratamento e diagnóstico

    O primeiro passo no combate à alergia alimentar é o diagnóstico correto. Isso só é possível através de avaliações clínicas que incluem testes alérgicos e exames de sangue específicos que permitem investigar o agente causador da alergia. “Não existe cura ou um remédio distinto para tratar a alergia alimentar. O uso de medicamentos só deve ser feito sob indicação médica. O ideal é excluir aqueles alimentos e substâncias que provocam alguma reação alérgica completamente da dieta”, orienta.

    Principais causadores da reação alérgica

    Leite: o leite de vaca é um dos maiores responsáveis pelos casos de alergia alimentar em crianças durante a primeira infância. A reação pode acontecer após a segunda exposição ao leite ou tardiamente.

    Ovo: a albumina, presente na clara, é a proteína do ovo com maior potencial alergênico.

    Trigo, aveia e centeio: esses cereais também apresentam elevados índices de alergia alimentar em crianças. O glúten é a principal proteína causadora da reação alérgica.

    Frutos do mar: caranguejo, camarão e lagosta são geralmente os que provocam reações alérgicas mais severas.

    Aditivos alimentares: conhecidos como corantes e conservantes são muito utilizados em vários tipos de alimentos e bebidas, como cervejas, vinhos e comidas congeladas em geral.

    Unidades