• Programa de Cuidados Clínicos para Pacientes com Insuficiência Cardíaca | HCor | Hospital do Coração
    Programa de Cuidados Clínicos para Pacientes com Insuficiência Cardíaca

    Programa de Cuidados Clínicos para Pacientes com Insuficiência Cardíaca

    Hospital do Coração registra 30 internações de pacientes por dia com Insuficiência Cardíaca e lança programa de cuidados clínicos para tratamento da doença

    O HCor – Hospital do Coração, em São Paulo, acaba de lançar um Programa de Cuidados Clínicos para Pacientes com Insuficiência Cardíaca (IC) que tem como objetivo promover uma assistência de excelência, por meio de um programa educacional que irá oferecer todo suporte ao paciente internado, além de um serviço especializado no tratamento clinico e cirúrgico disponível ao corpo clínico. Em 2010, o hospital registrou cerca de 1.000 internações com IC e, no mês passado, estavam internados 30 pacientes por dia com a síndrome.

    Segundo o coordenador do Programa de Cuidados Clínicos para Pacientes com IC e cardiologista do HCor, Prof. Dr. Félix Ramires, esse programa trará muitos benefícios a esse grupo de pacientes considerados especiais no qual precisam de um atendimento específico e especializado. “Com esse programa, esperamos reduzir significamente as reinternações, melhorar a qualidade de vida do paciente e a consciência do tratamento”, explica Dr. Félix Ramires, cardiologista do HCor.

    “No HCor tivemos 941 internações de pacientes com IC no ano passado e uma parte deles reinternam em média duas semanas depois da alta, permanecendo cinco dias ou mais no hospital. Com o programa muldisciplinar, o paciente receberá, após a sua alta hospitalar, acompanhamento telefônico da equipe de enfermagem, que tem como objetivo aumentar a aderência ao tratamento e orientar o autocontrole com medidas de detecção precoce de descompensação em casa como, por exemplo, o controle do peso. Isso visa a melhora da qualidade de vida e a redução de reinternações hospitalares”, esclarece Dr.Félix.

    Nesse programa, uma equipe multidisciplinar composta por médico, fisioterapeutas, nutricionistas, farmacêuticos, psicólogos e enfermeiros irão passar informações importantes ao paciente sobre a IC. Cuidados necessários referente a reeducação nutricional, apoio psicológico e conselho para abandonar o tabagismo, orientação da equipe de enfermagem e fisioterapia sobre a importância da atividade física supervisionada e orientada, além de todo suporte durante a permanência no hospital até a sua alta hospitalar, fazem parte do contexto do novo programa HCor. Com o lançamento do programa, o HCor irá criar um ambulatório de transplantes cardíacos, que tem como objetivo o tratamento dos pacientes com IC quando as possibilidades de tratamento medicamentoso estiverem esgotados.

    De acordo com o DATASUS, a Insuficiência Cardíaca é a terceira causa de internação clínica do SUS (Sistema Único de Saúde) e representa 33% de todas as internações de origem cardiovascular, sendo considerada a doença cardiovascular mais prevalente principalmente na população mais idosa.

    O DATASUS revela, ainda, que a IC tem um impacto expressivo dentro do universo de internações hospitalares. Do total de internações (11.450.000), cerca de 1.170.264 são por doenças cardiovasculares e 386.676 são por Insuficiência Cardíaca.

    Insuficiência Cardíaca – causas e consequências: o coração é um músculo formado por duas metades, a direita e a esquerda. Quando uma dessas cavidades falha como bomba, não sendo capaz de enviar adiante todo o sangue que recebe, ocorre a Insuficiência Cardíaca. A Insuficiência Cardíaca não é uma doença do coração por si só. É uma incapacidade do coração efetuar as suas funções de forma adequada como consequência de outras enfermidades, do próprio coração ou de outros órgãos.

    Existem a Insuficiência Cardíaca Aguda (ICA) e a Insuficiência Cardíaca Crônica (ICC). A Insuficiência Cardíaca Aguda é um acontecimento súbito e que ocorre devido à qualquer situação que torne o coração incapaz de uma ação eficaz. Geralmente a Insuficiência Cardíaca Aguda é consequente a um infarto do miocárdio, ou a uma arritmia severa do coração. Por ser uma situação grave, a ICA exige tratamento médico emergencial, e mesmo assim é, muitas vezes, fatal.

    Já, a Insuficiência Cardíaca Crônica pode aparecer de modo agudo mas geralmente se desenvolve gradualmente, às vezes durante anos. Sendo uma condição crônica, gera a possibilidade de adaptações do coração o que pode permitir uma vida prolongada, às vezes com alguma limitação aos seus portadores, se tratada corretamente.

    “As manifestações de Insuficiência Cardíaca Congestiva variam conforme a natureza do estresse ao qual o coração é submetido, da sua resposta, bem como de qual dos ventrículos está mais envolvido. O ventrículo esquerdo costuma falhar antes do direito, mas às vezes os dois estão insuficientes simultaneamente”, esclarece Dr. Félix.

    Unidades