• Uso inadequado de mochilas provoca aumento de 50% nos atendimentos de crianças no Spine Center HCor | HCor | Hospital do Coração
    Uso inadequado de mochilas provoca aumento de 50% nos atendimentos de crianças no Spine Center HCor

    Uso inadequado de mochilas provoca aumento de 50% nos atendimentos de crianças no Spine Center HCor

    Fisiatra intervencionista do Hospital do Coração alerta para o uso incorreto e o peso excessivo das mochilas da criançada na volta às aulas; o ideal é que a bolsa não pese mais de 10 a 15% do peso corporal da criança e que tenha duas alças

    Com o retorno às aulas, volta também à atenção dos pais ao peso da mochila das crianças. Nesta época do ano os pais enfrentam o mesmo dilema: o que e como levar para a escola sem prejudicar os ombros e coluna das crianças. Porém é um cuidado que deve ser redobrado a cada ano, para que possam ser evitadas lesões e também para não torná-las uma doença crônica.

    Pesquisadores do Cincinnati Children’s Hospital, nos Estados Unidos, analisaram as crianças admitidas no pronto socorro do hospital e, segundo os pesquisadores, 23% delas tinham queixas causadas pelo uso inadequado da mochila. Esse número não se restringe apenas a lesões na coluna e sim a 19 tipos de lesões no ombro.

    A maneira de carregar, erguer ou retirar a mochila das costas também deve ser supervisionada. Se comparada a bolsas de uso lateral, a mochila tem uma melhor aceitação, pois distribui o peso dos objetos pelos músculos e abdômen. Porém se estiverem com peso acima do recomendado podem causar um grande mal à saúde dos ombros e coluna das crianças.

    Segundo o fisiatra intervencionista do Spine Center HCor, Daniel Pimentel, o mau uso da mochila pode ocasionar dor muscular, ferimentos abrasivos e problemas para a coluna. “As crianças podem sofrer danos na coluna vertebral ao carregar uma mochila muito pesada. O peso pode afetar as articulações, influindo no desenvolvimento dos pequenos. O ideal é que a bolsa não pese mais de 10 a 15% do peso corporal da criança e que tenha duas alças para não haver sobrecarrega de apenas um ombro”, explica Dr. Pimentel.

    Muitos pais optam para o uso de mochila com rodinhas. Porém se puxadas de maneira inadequada, os riscos são os mesmos. “A alça do carrinho tem que ter a altura adequada para a criança e o peso também não pode ultrapassar a porcentagem desejada, senão o esforço que é feito causa lesões tão sérias quanto ao carregar nas costas”, orienta Dr. Pimentel.

    Ainda de acordo com o fisiatra, os pais devem ficar atentos para qualquer reclamação do filho. Ao primeiro sinal de dor devem levá-lo ao médico especialista para uma melhor avaliação. Vale também observar se o que ele leva na mochila é realmente essencial para as tarefas daquele dia.

    Lesões mais comuns

    Neste período, o Spine Center do HCor – serviço especializado em coluna – tem um aumento de aproximadamente 50% no número de crianças atendidas com queixas de dores nos ombros, geralmente ocasionadas pelo mau uso das mochilas escolares. São problemas que se não tratados quando detectados podem levar a prejuízos para a vida toda. É comum encontrar jovens com problemas de postura e dores crônicas nas articulações. Os problemas mais comuns são:

    • Dor muscular;
    • Alterações posturais;
    • Ferimentos abrasivos;
    • Fadiga;
    • Irritabilidade.

    “Quando o problema se instala iniciamos um tratamento de reabilitação para o paciente. Mudamos a rotina da pessoa e começamos com sessões de fisioterapia e exercícios de compensação”, explica o fisiatra.

    Prevenção de lesões

    Para eliminar a possibilidade de o seu filho adquirir uma lesão pelo mau uso do material escolar, o Dr. Daniel Pimentel, fisiatra intervencionista do HCor dá algumas sugestões para a escolha da mochila:

    A mochila não deve ficar pendente mais do que poucos centímetros abaixo da cintura. Quanto mais baixa ficar a mochila, mais sobrecarregados ficarão os ombros. O ideal é que a mochila fique cerca de três dedos acima da cintura;

    adquira uma mochila com alças de ombro largas, para prevenir que elas afundem muito nos ombros e distribua melhor o peso numa maior área;

    certifique-se que seu filho coloca ambas as alças da mochila nos ombros firmemente ajustadas; se a criança usa somente uma tira em um só ombro, todo o peso da mochila ficará pendendo sobre um lado de suas costas – o que pode levar a dores e espasmos musculares;

    uma tira horizontal na altura do quadril deve ser usada sempre que se carrega bastante peso a fim de dividi-lo entre os ombros e quadris;

    os itens mais pesados da mochila devem ser colocados perto das costas; quando for erguer algo pesado, a criança deve ser ensinada e lembrada a dobrar os joelhos e usar a força das pernas para erguê-lo;

    não sobrecarregue a mochila. A criança jamais deve carregar mais do que 10 a 15% de seu peso;

    considere adquirir mochila com rodinhas e sugira a possibilidade de se ter armários na escola de seu filho para guardar livros e demais materiais.

    Unidades