• Geriatra do HCor orienta como envelhecer com mais qualidade de vida | HCor | Hospital do Coração
    Geriatra do HCor orienta como envelhecer com mais qualidade de vida

    Geriatra do HCor orienta como envelhecer com mais qualidade de vida

    No dia do idoso, celebrado neste domingo (27/9), Dra. Patrícia Amante, geriatra do HCor reforça a importância de prevenir a sarcopenia – perda acentuada da massa muscular em idosos; atividade física e dieta rica em proteína são medidas que ajudam a combater a síndrome que já atinge 40% da população entre 70 e 80 anos

    A perda acentuada da massa muscular pode ocasionar uma síndrome geriátrica ainda pouco conhecida: a sarcopenia. Com o aumento da população idosa e da expectativa de vida, começam a surgir com mais frequência doenças e comorbidades relacionadas ao processo de envelhecimento. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que a síndrome atinge cerca de 40% da população entre 70 e 80 anos. A incidência é mais elevada em homens: com 58% dos casos, antes 45%, em mulheres.

    De acordo com a geriatra e nutróloga do HCor, Dra. Patrícia Amante, os principais fatores de risco para a sarcopenia incluem sedentarismo, dieta pobre em proteína, saúde fragilizada, além de fatores genéticos. “A sarcopenia associada ao envelhecimento é um processo lento, progressivo e aparentemente inevitável. Se não diagnosticada, e devidamente tratada, é capaz de diminuir consideravelmente a independência dessas pessoas. Isso porque até o desempenho de atividades simples e corriqueiras – como carregar uma sacola, por exemplo -, torna-se difícil”.

    Para identificar a doença, a geriatra do HCor diz que é importante ficar atento aos sinais que a síndrome deixa, como por exemplo, a dificuldade de caminhar e levantar de cadeiras, sofás ou camas, sem ter o apoio das mãos ou de outras pessoas. “Exames como tomografia computadorizada, ressonância magnética – capazes de visualizar a parte interna do corpo – e testes para avaliar a força muscular são os mais recomendados. O diagnóstico permite ao médico traçar uma linha de tratamento individualizada e específica para cada paciente”, orienta a geriatra.

    De olho na sarcopenia

    Manter-se ativo sempre foi a melhor prevenção contra os males do envelhecimento. Estudos sugerem que a prática de atividade física é um fator importante para um envelhecimento ativo e os idosos estão recorrendo cada vez mais à prática de esportes para terem uma vida mais saudável e independente.

    “Envelhecer não significa adoecer, mas o envelhecimento traz uma série de perdas que são inerentes a essa condição. Para combatê-las ou diminuir os impactos nas atividades da vida diária, é preciso usar a ferramenta mais adequada, ou seja: a prevenção. No caso específico da sarcopenia, a chave para deter o processo evolutivo da doença é a partir do binômio alimentação-atividade física”, explica Dra. Patrícia Amante.

    Os pacientes diagnosticados com a doença precisam mudar a rotina, a partir de uma dieta saudável e rica em proteína – substância encontrada em diversos alimentos que contribui para o fortalecimento dos músculos -, e de atividades físicas capazes de devolver seu tônus muscular.

    “Estudos mostram que a prática de atividades físicas tem os mais promissores resultados, tanto na prevenção quanto no tratamento não só da sarcopenia, como para muitas outras patologias. Os potenciais benefícios a longo prazo são o menor número de quedas, aumento da mobilidade e independência destes pacientes, o que permite desfrutar de maneira prazerosa aquilo que têm de mais gostoso: sua vida”, finaliza a geriatra do HCor, Dra. Patrícia Amante.

    Unidades