Instituto do Joelho HCor alerta para o aumento de lesões  em praticantes de artes marciais

Instituto do Joelho HCor alerta para o aumento de lesões em praticantes de artes marciais

Instituto do Joelho HCor alerta para o aumento de lesões em praticantes de artes marciais

Dr Rene Abdalla aponta que atividades como karatê e kung fu, por exemplo, exigem muito das articulações e acabam provocando entorses do joelho

Um problema crescente associado com a prática de artes marciais são as lesões no joelho. Com o aumento de praticantes de karatê, kung fu e outras modalidades, muitos não recebem a orientação de um especialista que possa realizar uma primeira avaliação e recomendar os cuidados necessários para o início da atividade.

“Nas atividades esportivas que envolvem as artes marciais ocorrem muitas lesões do tipo entorse do joelho. Estas lesões podem ser relativamente simples, tirando o atleta das atividades por semanas, ou complexas, sendo necessário o procedimento cirúrgico e um longo período de reabilitação, que pode durar meses. No HCor temos constatado uma procura maior de pacientes que se lesionaram ao praticar este tipo de atividade”, explica o ortopedista e responsável pelo Instituto do Joelho HCor, Dr. Rene Abdalla.

Segundo o especialista, as lesões de joelho mais comuns em artes marciais são as lesões do ligamento cruzado anterior e posterior, além do trauma direto que atinge qualquer uma de suas faces quando o pé está fixo ao solo sustentando parte ou todo o peso do corpo, bem como as lesões devido à flexão anti-ergonômica – aquela em que a patela se projeta adiante da linha dos dedos do pé – repetida em treinamento e combate.

Alguns movimentos nas artes marciais podem resultar em situações que o joelho ultrapassa o limite seguro. Isso porque quando o joelho se projeta para além do limite da projeção dos dedos do pé, os tendões e músculos da parte anterior da coxa estão super-esticados e sujeitos a lesões, enquanto os ligamentos e estruturas tendíneas que sustentam as porções medial e lateral do joelho estão frouxas, aumentando assim a chance de luxações e de lesões dos ligamentos intra-articulares.

“Em caso de lesão é comum o atleta tomar suas próprias medidas podendo comprometer o caso ou até mesmo melhorar a situação de forma provisória, mais que no futuro poderá acarretar algo mais grave, dificultando o trabalho do médico e atrapalhando os resultados do atleta”, explica o ortopedista.

Em casos de praticantes idosos ou com lesões prévias no joelho (em geral vítimas de outras práticas esportivas) é importante ressaltar a necessidade de respeitar o limite individual. Também é imprescindível que o instrutor/professor avalie alguns problemas que são visíveis como pessoas que possuem as pernas abertas ou fechadas em relação à coxa (joelho valgo e joelho varo), por isso a importância de consultar um médico antes do início da prática.

Para evitar lesões o melhor procedimento é a prevenção. Algumas formas para evitar estes incidentes são: material esportivo adequado (protetor bucal, caneleiras, joelheiras, protetor de cabeça, luvas), técnica adequada, musculatura reforçada, além de alongamento e aquecimento.