Médico do esporte do HCor alerta para os riscos de parada cardíaca durante a prática  de atividade física no inverno

Médico do esporte do HCor alerta para os riscos de parada cardíaca durante a prática de atividade física no inverno

Durante a estação, a mortalidade por doenças cardiovasculares, como o infarto do miocárdio pode ter um aumento de até 30%, de acordo com dados da American Heart Association; Por isso é fundamental que os praticantes de atividades físicas que possuem fatores de riscos tenham cuidados redobrados.

Quem sofre de problemas no coração ou pressão alta precisa de cuidados especiais para a prática de atividades físicas, e a cautela deve ser ainda maior durante o inverno. Nos dias frios, os vasos sanguíneos tendem a ficar naturalmente mais contraídos, o que compromete a circulação. Assim, o sangue oxigenado tem dificuldade de chegar ao coração, fazendo com que o músculo cardíaco precise trabalhar mais para cumprir sua função de maneira adequada. Com vasos mais estreitos, aumenta também a pressão arterial, sobrecarregando ainda mais o coração.

Durante o inverno, a mortalidade por doenças cardiovasculares, como o infarto do miocárdio pode ter um aumento de até 30%, de acordo com dados da American Heart Association. Nesta época do ano aumentam as chances de desencadear problemas cardíacos, poiso coração trabalha em um ritmo mais acelerado. Por isso é fundamental que os praticantes de atividades físicas que possuem fatores de riscos à problemas cardiovasculares como tabagismo, pressão alta, diabetes, colesterol alto tenham cuidados redobrados nesta estação.

De acordo com Dr. Nabil Ghorayeb, cardiologista e médico do esporte do HCor, antes de iniciar a prática esportiva, os exames cardíacos devem ser feitos em qualquer época do ano, pois estes exames ajudam a prevenir doenças cardiovasculares. “Quando já existem fatores de riscos como obesidade, diabetes ou a pessoa é fumante, é aconselhado que sejam realizados exames para observar se existe algum problema no coração”, afirma.

Sabe-se que no inverno ocorre um aumento significativo da incidência de algumas doenças. Em geral são as chamadas infecciosas (por vírus e bactérias), porque há uma diminuição da imunidade do organismo em consequência do frio. Elas são consideradas perigosas para crianças, idosos e também para os portadores de doenças do aparelho circulatório, como pressão alta, doenças das coronárias (angina, infarto, cirurgias cardíacas ou angioplastias), além de doenças crônicas, como o diabete por exemplo.

Pratica de atividades físicas no inverno e cuidados com o coração:

“O corpo humano tem sua temperatura normal de 36,5ºC. Se baixar disso, o metabolismo fisiológico deixa de produzir energia suficiente para manter a temperatura interna do corpo, levando a sérias consequências como a coordenação motora que se torna deficiente, além do risco de parada cardíaca que, se não for atendida em minutos, pode ser fatal”, explica Dr. Ghorayeb.

O esportista que se exercita no inverno deve saber que no rosto, mãos e pés estão os mais sensíveis sensores de temperaturas, justamente onde devemos nos proteger mais das baixas temperaturas.

“No inverno, exercícios físicos são recomendados entre 20ºC e 25ºC e devem ser feitos com cuidado. Pelas possíveis dificuldades respiratórias das baixas temperaturas e vento frio, recomendamos o aquecimento muscular, intensificando os exercícios progressivamente. O ideal é utilizar as vestimentas adequadas (mãos, pés e rosto) para se proteger da perda rápida de calor que ocorre durante a atividade física, além da ingestão de líquidos”, finaliza Dr. Ghorayeb.