×

HCor Explica / Oncologia

Saiba como se prevenir do câncer de cabeça e pescoço

Cirurgião do HCor alerta sobre a importância do diagnóstico precoce que eleva as chances de cura em até 90%

O dia 27 de julho é conhecido como o Dia Mundial de Prevenção do Câncer de Cabeça e Pescoço. O objetivo é conscientizar as pessoas sobre a importância da prevenção, já que um terço desses casos pode ser evitado. Nesta linha, a Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG) criou o julho verde.

De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer), cerca de 640 mil novos casos estão estimados para este ano, sendo aproximadamente 43 mil de cabeça e pescoço.

Quais órgãos fazem parte do câncer de cabeça e pescoço?

Componentes do sistema respiratório e aparelho digestivo como boca, língua, faringe, garganta, glândulas salivares, seios paranasais, tireoide, entre outros, fazem parte desse grupo de cabeça e pescoço. Entre os homens o tipo de câncer mais comum é o de boca e o mais frequente entre as mulheres é o da glândula tireoide.

“Um nódulo persistente no pescoço, dificuldades para engolir, lesão na boca que não cicatriza e rouquidão prolongada por mais de três semanas são alguns dos sintomas para o câncer de cabeça e pescoço. É importante ficar atento a esses sinais”, explica o Dr. Fábio Roberto Pinto, cirurgião de Cabeça e Pescoço do HCor.

6 dicas para prevenção do câncer de cabeça e pescoço:

  1. – Mantenha a higiene bucal em dia.
  2. – Para pacientes com fatores de risco, fazer acompanhamento regular com profissional de saúde qualificado para detectar precocemente e investigar alguma lesão suspeita.
  3. – Abandonar o cigarro.
  4. – Evite o consumo excessivo de bebidas alcoólicas.
  5. – Procure manter uma alimentação saudável.
  6. – Fale com seu médico de confiança, seja ele de qualquer especialidade, sobre a necessidade de incluir no seu check-up o ultrassom de tireoide, caso isso ainda não esteja sendo feito.

Fatores de risco 

O cigarro e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas são os fatores de risco mais conhecidos. Porém, estudos recentes publicados pelo Johns Hopkins Oncology Center, nos Estados Unidos, mostram que o papilomavírus humano (HPV) é um dos fatores que vem crescendo na predisposição do desenvolvimento de câncer de boca.

“O que percebemos é que adultos entre 30 e 45 anos, que não fumam e também não consomem bebidas alcoólicas em excesso, também estão tendo câncer, principalmente na orofaringe, (que é constituída pela região das amigdalas), palato mole (parte mais posterior do céu da boca) e base da língua (área mais posterior da língua). Tais tumores tem como base a infecção pelo HPV destas regiões, por conta de sexo oral sem proteção”, comenta Dr. Fábio.

Em geral, o câncer causado pelo HPV é menos agressivo localmente, mas pode comprometer os linfonodos do pescoço de maneira mais rápida. Porém, são mais sensíveis às terapias cirúrgicas ou aos tratamentos com rádio e quimioterapia. Quando diagnosticados em estágio inicial, as chances de cura podem chegar a 90%.