Projetos filantrópicos do HCor impulsionam avanços na saúde pública

Projetos do HCor em parceria com o PROADI- SUS impulsionam o aprendizado na rede pública de saúde

Projetos filantrópicos do HCor impulsionam avanços na saúde pública

Este ano de 2017 marca o final do terceiro triênio do convênio do HCor com o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS). Por meio desta parceria, o Hospital do Coração conseguiu desenvolver importantes projetos que vêm contribuindo expressivamente com o avanço da saúde pública no cenário nacional. Nestes nove anos, foram implementados 73 projetos que levaram a excelência do HCor para diversas regiões do País. Na área de pesquisa, por exemplo, o Instituto de Pesquisa do HCor desenvolveu 11 projetos contemplando temas como redução da mortalidade por infarto, por síndrome respiratória, hidratação na terapia intensiva, dieta cardioprotetora, entre outros. Estes estudos envolveram 600 centros de pesquisa em todo o Brasil, beneficiando mais de 8,4 mil pacientes.

No eixo de Gestão, o Laboratório de Inovação em Planejamento e Gestão de Serviços de Saúde (LIGRESS) do HCor desenvolveu seis projetos com o objetivo de aprimorar o trabalho realizado pelos gestores do SUS. “Já participaram 567 instituições, envolvendo 1.236 profissionais. Vinculado ao Programa de Boas Práticas Clínicas em Cardiologia, a Telemedicina do HCor já realizou 328.078 laudos de eletrocardiogramas enviados pelas ambulâncias do SAMU de todo o País. São acompanhados 1.135 pacientes de nove hospitais do Brasil em protocolos de melhores práticas em insuficiência cardíaca, infarto agudo do miocárdio, fibrilação atrial e dor torácica. Além disso, há 12 hospitais públicos importantes nos estados do Ceará, Alagoas e Bahia, onde estamos prestando consultoria e apoio na implementação de metas de segurança do paciente”, esclarece a Superintendente de Qualidade e Responsabilidade Social do HCor, Dra. Bernardete Weber.

Na área Assistencial, o destaque do HCor é para os atendimentos filantrópicos em Cardiopediatria, considerada referência na América Latina. Nos últimos dois anos, foram realizados 3.283 atendimentos ambulatoriais a crianças com cardiopatias de alta complexidade e 420 cirurgias reparadoras. Na Unidade de Cardiologia Fetal, foram realizados 1.395 diagnósticos de Ecodoppler Fetal e conduzidos 41 partos de gestantes com fetos cardiopatas. Na área de Neurologia, 62 pacientes da rede pública portadores de Neoplasias do Sistema Nervoso Central (SNC) e Má-formação da Artéria Venosa (MAV) passaram por tratamento radiocirúrgico com o Gamma Knife.

Já o eixo Capacitação de profissionais de saúde e hospitais da rede pública também se destaca. Por meio de seis projetos, o HCor capacitou 679 profissionais, dos quais 331 são gestores, beneficiando cinco diferentes regiões brasileiras. Além disso, o HCor também ofereceu treinamento a profissionais de especialidades distintas para o tratamento e cirurgias de reparação de cardiopatias congênitas. “O HCor contribui ainda com avaliações de tecnologias em saúde para subsidiar decisões sobre incorporação ao SUS. Neste ciclo, envolvendo Oficinas e Cursos, foram capacitados, 153 profissionais das áreas gerenciais e assistenciais em Avaliação de Tecnologia em Saúde (ATS)”, explica Dra. Bernardete.

O que é o PROADI-SUS?

Criado em 2008 pela Lei nº 12.101, o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS) idealiza parcerias junto aos hospitais de excelência, entre eles o HCor, por meio de atividades assistenciais, pesquisas clínicas, de desenvolvimento gerencial e de capacitação que, nos últimos oito anos beneficiaram milhões de pacientes do SUS e profissionais da rede pública. As iniciativas são executadas em períodos de três anos, sempre com a aprovação prévia do Ministério da Saúde, que é o responsável pela fiscalização das metas acordadas com as instituições.

Programas de apoio ao SUS

Programas de apoio ao SUSElaborado em parceria com o PROADI-SUS, maior estudo randomizado em terapia intensiva realizado no Brasil, o ART (Alveolar Recruitment Trial)tem como objetivo aumentar as chances de sobrevida de pacientes com Síndrome da Angústia Respiratória Aguda (SARA), principal causa de morte em UTI. O estudo está sendo realizado em 120 unidades de terapia intensiva do Brasil, Colômbia, Argentina, Uruguai, Portugal, Espanha, Itália, Polônia e Malásia, com a inclusão de 1.013 pacientes.

De acordo com o Dr. Alexandre Biasi, gerente de Estudos Clínicos do Instituto de Pesquisas do HCor, por meio deste estudo foi demonstrado que os pacientes com SARA não recebem ventilação mecânica adequada. “A participação no estudo ART tem promovido a correta identificação de casos de SARA e a sistematização do manejo de ventilação mecânica, além de permitir que os pacientes incluídos no estudo recebam ventilação mecânica adequada”, afirma Dr. Biasi.

Projeto de Capacitação Atenção Básica do Idosotem como objetivo capacitar equipe multiprofissional da Atenção Básica dos municípios de Palmas (TO), São Luis (MA) e Natal (RN) para aplicação da Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa, bem como acompanhar o idoso por meio desse instrumento. O primeiro curso de capacitação teve início em maio deste ano, em Palmas, com o encontro presencial. “O projeto apoia a organização na linha de cuidado ao idoso e valida um protocolo de reabilitação em fisioterapia e nutrição para idosos atendidos na Atenção Básica”, afirma Dra. Bernardete Weber.

Qualiti Hospitalar,programa de Aprimoramento de Qualidade Assistencial em Terapia Intensiva, que apoia a adoção de boas práticas assistenciais e desenvolve planos de melhorias contínuas, com foco em processos e resultados para fortalecer o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP) e a Política Nacional de Atenção Hospitalar (PNHOSP). “Este programa visa a aprimorar a qualidade assistencial no cuidado a pacientes internados em unidades de tratamento intensivo de hospitais nas regiões metropolitanas dos Estados da Bahia, Ceará e Alagoas”, explica Dra. Bernardete.

Projeto de cooperação para o desenvolvimento e expansão da cirurgia cardíaca congênita no País,parceria entre HCor e Ministério da Saúde para atender neonatos e crianças com cardiopatias congênitas de áreas especificas do País onde este tipo de cirurgia não é realizada, bem como oferecer tratamento especializado e de alta complexidade, permitindo a redução da fila de espera para este tipo de cirurgia. “Além do atendimento de crianças com cardiopatias congênitas, o HCor foi pioneiro e responsável no desenvolvimento do primeiro centro de cardiologia pediátrica em Manaus, por meio de um treinamento em cardiologia pediátrica de 27 profissionais do Hospital Francisca Mendes, pelo corpo clínico do HCor. Já neste ano, o treinamento está sendo destinado a 28 profissionais das mais diversas áreas de atuação do Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HUUFMA), responsáveis pelo atendimento a pacientes cardiopediátricos”, explica Adriana Pedranzini, coordenadora de Projeto de Filantropia do HCor.