×

HCor Explica / Neurologia

Saiba o que é esclerose múltipla

Segundo Associação Brasileira de Esclerose Múltipla (ABEM), a estimativa é que a esclerose múltipla já atinja 35 mil brasileiros. No mundo são cerca de 2,5 milhões de pessoas que lidam com essa doença neurodegenerativa complexa.

Atualmente diversas doenças e condições são diagnosticadas nas pessoas. As causas e sintomas dessas doenças podem são variados, e uma dessas doenças é a Esclerose Múltipla (EM). Quer entender melhor sobre essa doença? Então confira nosso post exclusivo sobre o assunto!

Incidência do câncer na bexiga

+ Diagnóstico e tratamento da esclerose múltipla

+ Conheça as causas e sintomas da esclerose múltipla

O que é a esclerose múltipla?

A esclerose múltipla atinge o sistema neurológico, sendo uma doença inflamatória, crônica e autoimune.

A doença ocorre quando as células do sistema central (medula espinhal), cérebro e nervos ópticos são atacadas. Nesse caso, o corpo confunde células saudáveis com não saudáveis, provocando lesões.

Com isso, o sistema imune corrompe uma parte do corpo chamada “bainha de mielina”, que protege e cobre os nervos.

Os danos na bainha de mielina causam diversos sintomas, dificultando o controle de diversas funções comuns, como caminhar, falar, enxergar, urinar, entre outras que podem ou não ser afetadas pela doença, já que os sintomas variam conforme a pessoa.

A esclerose múltipla pode atingir qualquer sexo ou idade, porém é mais comum em mulheres, em pessoas entre 20 a 50 anos, de pele branca e que vivem em zonas temperadas.

Tipos de esclerose múltipla

Há 3 tipos da doença, sendo a mais comum, a Esclerose Múltipla Remitente Recorrente (EMRR), que se caracteriza por evoluir em forma de surtos, cujo os sintomas ocorrem de maneira súbita, podendo deixar sequelas posteriores ou não.

Outro tipo é a Esclerose Múltipla Primária Progressiva (EMPP), onde a pessoa não sofre com surtos, mas é acometido de vários sintomas acumulados ao longo do tempo.

Por último, a Esclerose Múltipla Secundária Progressiva (EMSP), é considerada uma fase posterior do tipo Remitente Recorrente, tendo a progressão de sintomas de forma mais rápida que no início, podendo aumentar as sequelas.