×

HCor Explica / Outras

Desmaio (síncope) – tire todas as suas dúvidas

Apesar de comum, a síncope gera muitas dúvidas. Como lidar com o desmaio? É algo perigoso? Colocar sal debaixo da língua funciona? Qual médico procurar?
Neste texto, vamos tirar as principais dúvidas relacionadas à síncope. Confira.

Toda arritmia causa síncope?

Não. Ela só pode causar síncope se tiver uma frequência muito rápida ou se o paciente não conseguir manter a circulação hemodinâmica. Não é comum uma arritmia causar desmaios.

Convulsões são síncopes?

Não. Uma convulsão pode causar perda de consciência súbita, mas não é considerada síncope. No entanto, convulsões do tipo breve, ou seja, de poucos segundos, ocorrem algumas vezes com a síncope verdadeira.

A convulsão é a contratura involuntária da musculatura. Isto é, em vez de deixar o corpo flácido, ela o enrijece. Isso ocorre quando há excitação da camada externa do cérebro.

A síncope, quando causada pela síndrome vasovagal, é benigna. No entanto, pode causar complicações ao indivíduo quando recorrente, prejudicando sua qualidade de vida. Além disso, aumenta a mortalidade com o envelhecimento pelo risco de quedas com traumas graves, quando os ossos se tornam mais frágeis e a pessoa pode apresentar doenças relacionadas entre si.

Leia mais:

+ O que é uma síncope?

+ O que causa a síncope?

+ Síncope: sintomas e fatores de risco

Como deve ser o socorro de uma síncope?

O desmaio tem recuperação espontânea. Como é causado por uma baixa no fluxo cerebral, quando o paciente se deita, o fluxo é restituído e ele retoma a consciência. Isso ocorre porque o sangue consegue fluir rapidamente quando o corpo está na horizontal, compensando a queda de pressão.

Não é recomendado tentar levantá-lo. A pessoa está deitada como um mecanismo de defesa para restituir o fluxo cerebral, portanto essa posição é a melhor para deixá-la. O que pode ajudar é levantar seus membros inferiores para favorecer a corrente sanguínea.

Depois do evento, é essencial procurar um cardiologista para fazer uma estratificação de risco (investigação de uma patologia cardíaca subjacente, epilepsia e outros tipos de tontura que possam estar associados).

No entanto, há o perigo do desmaio em que a pessoa não esteja respirando. Se esse for o caso, ligue rapidamente para o serviço de emergência médica e dê início a uma reanimação cardiopulmonar (massagem cardíaca com reanimação boca a boca).

Assim que a pessoa chegar ao hospital, os médicos vão diagnosticar o motivo do desmaio e tratá-lo com medicamentos ou medidas apropriadas. Tais medidas podem chegar ao uso de desfibrilador cardíaco ou cirurgia para desbloquear artérias entupidas.

Paciente com síncope tem risco de morte?

Para saber sobre isso, é preciso fazer a estratificação de risco. Ela vai indicar se a síncope está relacionada a uma patologia cardíaca e se há risco de morte súbita. Na maioria dos casos, ela está relacionada apenas a uma queda de pressão, e o risco de morte não existe.

Dá para prevenir?

Para prevenir, é necessário saber qual é a causa da síncope. O tratamento visa a prevenir ou diminuir a recorrência dos desmaios.
Quando a causa está relacionada a uma síncope vasovagal, recomenda-se o seguinte:

  • tomar muito líquido (especialmente água);
  • evitar ficar em pé por muito tempo;
  • usar meia elástica (ajuda na manutenção da pressão arterial);
  • praticar atividade física que vise à melhoria do tônus muscular dos membros inferiores (mas com aval do cardiologista).

Se o motivo ainda não foi encontrado, também evite dirigir e operar equipamentos.
Quando a causa é uma doença ou arritmia cardíaca, é necessário tratar essas condições para prevenir um novo evento.

Como funciona o tratamento?

O tratamento depende da causa da síncope. Quem tem arritmia, por exemplo, provavelmente vai precisar de um marca-passo e/ou desfibrilador.
Seja qual for o tratamento, siga à risca a recomendação médica.

Colocar sal debaixo da língua ajuda?

Não. O sal pode demorar mais de 4 horas para aumentar a pressão sanguínea. Portanto, não produz um efeito imediato (somente psicológico).

Além disso, o sal retém os líquidos do corpo e só depois é que ele aumenta o volume de sangue, combatendo a pressão baixa. E a alimentação brasileira já tem sódio em excesso, é melhor evitá-lo.

Depois de acompanhar todas essas informações, deve perceber a importância de não negligenciar a síncope. Ela está relacionada a causas muito distintas e descobri-las é a melhor forma de prevenção. Portanto, procure avaliação médica, de preferência cardiológica.