A importância do fortalecimento muscular na prevenção de lesões

Iniciar a prática esportiva com exercícios de baixo impacto, aumentando a intensidade e a carga gradativamente, são alternativas para não sobrecarregar os joelhos

Exercício Isotônico
No exercício isotônico os músculos são trabalhados e as fibras musculares são alteradas durante a atividade, como na cadeira extensora

Muitas pessoas começam a praticar atividades físicas para espantar o sedentarismo e ter uma vida mais saudável. No entanto, não imaginam que a cada passo dado podem estar se aproximando de um problema comum, muitas vezes subestimado: lesões no joelho.

“A mídia incentiva a pratica de atividades físicas, e isso é ótimo. No entanto, é preciso orientar as pessoas a maneira adequada de praticá-las. De certa forma, a superação e a dor fazem parte da cultura do esporte, mas do ponto de vista da saúde isso não é bom. A dor é um alarme do corpo”, afirma Dr. Marcio Ferreira, ortopedista do HCor.
Segundo o ortopedista, as lesões no joelho são comuns em parte pela anatomia da articulação, mas principalmente pelos hábitos de vida das pessoas. “É o que eu chamo de “Tripé da Consulta”: o sobrepeso, a falta de condicionamento e a falta de orientação”, afirma o Dr. Ferreira.

A articulação do joelho depende muito da musculatura para não ser sobrecarregada. Por isso, sair correndo por aí sem estar preparado não é a melhor maneira de “vencer” o sedentarismo. Antes de qualquer iniciativa esportiva é preciso passar por exames clínicos e ortopédicos.

Uma das primeiras medidas para manter seus joelhos seguros é começar a prática de exercícios aeróbicos com atividades de baixo impacto (caminhadas, bicicleta ergométrica, elípticos e atividades hídricas – hidroginástica e natação). A intensidade e a duração devem ser aumentadas de acordo com o ganho de condicionamento físico. Ao mesmo tempo, um programa de fortalecimento muscular deve ser iniciado para agregar força e resistência ao corpo e permitir uma evolução física sadia.

Exercício Isométrico
No exercício isométrico os músculos são trabalhados sem que as fibras musculares sejam alteradas: na foto, o paciente trabalha os músculos da coxa isometricamente

Deve-se ressaltar que as pessoas possuem características físicas diferentes como idade, biótipo, peso, capacidade física inicial e até mesmo alguma doença pré-existente. Portanto, as orientações devem ser individualizadas.

“O ideal é que a pessoa tenha orientação de um profissional para a realização das atividades, e comece o fortalecimento muscular com exercícios isométricos evoluindo para os isotônicos, objetivando sempre força e resistência. A duração e intensidade de carga dos exercícios devem ser crescentes, aumentando cerca de 10% a 20% por semana, para que o corpo aceite bem o acréscimo de esforço, minimizando, assim, as chances de lesões”, explica Dr. Ferreira.

Adotar estas medidas é importante, pois o tratamento das lesões por sobrecarga articular geralmente não se resolve na velocidade que os “atletas” desejam, sendo que algumas ainda podem necessitar de reparo cirúrgico. Não podemos esquecer que as dores e lesões provocam frustração e desânimo, fatores estes que contribuem para o abandono das atividades físicas.

O segredo para manter os joelhos livres das dores, segundo o ortopedista, está na opção e adoção consciente de hábitos de vida saudáveis, e não esquecer de dedicar parte dos treinos à prevenção. “Falta prevenção e sobra transpiração. Na maioria das consultas que tenho, preciso orientar o paciente a adotar novos hábitos esportivos. Muitas vezes, a ação de melhora clínica cabe somente a algumas mudanças no padrão das atividades que as próprias pessoas realizam, não necessitando de nenhuma intervenção terapêutica”, analisa.

Portanto, vale a pena cumprir todas as etapas de adaptação aos treinos e evoluir gradativamente com os esforços, afinal quanto mais fortalecida estiver a musculatura, menor serão as chances de lesões no joelho.

Selo de Qualidade Internacional

O HCor é considerado um dos principais centros de excelência do país. Acreditado pela Joint Comission International – JCI, entidade renomada que avalia padrões de qualidade na área de saúde, o hospital tem buscado ampliar as certificações internacionais de seus serviços.

Depois de conquistar as acreditações da JCI para os Programas Clínicos de Infarto Agudo do Miocárdio e Insuficiência Cardíaca, o HCor está finalizando os protocolos para certificar também o Programa Clínico em Artroplastia, responsável pela admissão, tratamento e pós-operatório relacionados a próteses de joelho e quadril.
O objetivo é elevar ainda mais a qualidade dos serviços prestados. A expectativa é alcançar a Acreditação até meados de 2016.

Machucou o joelho? Veja como proceder

Confira algumas dicas que devem ser adotadas em caso de lesão nas articulações:

• Proteja a articulação da melhor forma possível;

• Mantenha a articulação em repouso: quanto menos mexer, menor a chance de agravar o problema;

• Coloque gelo por 20 minutos e, se possível, faça uma compressão leve no local. O frio tem efeito analgésico e comprime os vasos sanguíneos, evitando o inchaço da região;

• Eleve o membro para evitar acúmulo de sangue na área;

• Procure um serviço médico para uma avaliação clínica.

Referência nacional no tratamento de atletas e esportistas

A área de ortopedia do HCor, que conta com renomados cirurgiões como o Dr. Gilberto Camanho e o Dr. Rene Jorge Abdalla, se consolidou como referência nacional no tratamento de atletas amadores e de alta performance esportiva.
Alan Kardec e Rodrigo Caio, jogadores do São Paulo, são exemplos de atletas que trataram recentemente suas lesões no HCor.
O principal objetivo deste serviço especializado é prestar um atendimento individualizado, diferenciado e atualizado nos tratamentos clínico, cirúrgico e de reabilitação (fisioterapia).
Por meio de consultas e avaliações realizadas por uma equipe multiprofissional, o serviço de ortopedia define o melhor tratamento, assim como o planejamento de treinos e prevenção de lesões.

Aliado aos mais altos padrões de tecnologia para o tratamento das lesões articulares, o HCor dispõe de aparelhos capazes de mensurar disfunções que aumentam as chances de lesão. São exemplos desses instrumentos diagnósticos o dinamômetro Isocinético Cybex® para avaliação e treinamento da força e equilíbrio muscular, o Balance System® para mensuração e treinamento da propriocepção articular, o SportsMetrics™, utilizado na avaliação da biomecânica dos membros inferiores durante o salto e o KT-1000® para avaliação da integridade do ligamento cruzado. O HCor conta também com um serviço de fisioterapia que oferece tratamentos preventivos e pós-operatórios para atletas profissionais e amadores. Um dos coordenadores, o fisioterapeuta Fabio Mosconi, destaca que, além de protocolos para reabilitação pós-cirúrgica ou tratamento conservador para lesões não cirúrgicas, o setor oferece avaliações funcionais, capazes de identificar as causas que geram lesões por sobrecarga e corrigi-las a partir de um tratamento global a fim de diminuir sintomas e a progressão da lesão.